Mundo: “Superlotadas, insalubres”: prisões francesas vivem “crise profunda”, diz Figaro - - PressFrom - Brasil

Mundo “Superlotadas, insalubres”: prisões francesas vivem “crise profunda”, diz Figaro

14:46  13 novembro  2019
14:46  13 novembro  2019 Fonte:   brasil.rfi.fr

Macron pede maior abertura comercial da China

  Macron pede maior abertura comercial da China Em seu segundo dia de visita à China, o presidente francês, Emmanuel Macron, pediu nesta terça-feira (5) que o governo chinês consolide a abertura de seu imenso mercado a empresas estrangeiras e colabore com a Europa para combater tentações unilaterais, em um cenário de tensões comerciais crescentes. Em Xangai, onde participou da cerimônia de inauguração da Exposição Internacional de Importações da China, Macron elogiou as medidas adotadas nos últimos anos por Pequim, como os "cortes tarifários significativos" e as "reformas no setor financeiro". No entanto, destacou que o país deve aprofundar a abertura de seu mercado interno.

  “Superlotadas, insalubres”: prisões francesas vivem “crise profunda”, diz Figaro © FRED DUFOUR / AFP

O jornal francês Le Figaro denuncia em reportagem de capa desta quarta-feira (13) a “crise profunda” do sistema carcerário na França. A promessa do presidente Emmanuel Macron de abrir 15 mil novas vagas nas penitenciárias está longe de ser cumprida: no fim do seu governo, em 2022, pouco mais de 4 mil serão de fato consolidadas. O resultado é que as prisões do país se encontram “superlotadas, vetustas, insalubres”, afirma o diário.

Apesar de ser um país desenvolvido, faz muitos anos que a França enfrenta o problema da superpopulação carcerária. Para compensar a falta de vagas, o governo Macron se esforça para encontrar soluções alternativas à pena fechada, como trabalhos comunitários, uso de tornozeleira eletrônica e ampliação de regimes semiabertos.

Macron afirma que Otan está em estado de "morte cerebral"

  Macron afirma que Otan está em estado de Presidente francês diz que não há uma coordenação entre a Europa e os Estados Unidos e critica ações militares da Turquia, que é país-membro da aliança. Merkel rebate declaração e afirma que Otan é "indispensável".Em uma entrevista publicada nesta quinta-feira (07/11) pela revista The Economist, o presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou considerar que a Otan está em situação de "morte cerebral". A opinião foi prontamente rebatida pela chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel.

“Mas essas medidas, por enquanto, não funcionam”, ressalta o Figaro. “As penitenciárias estão submersas. O número de presos que dormem em um colchão no chão cresceu 10,6% em 2019”, afirma o texto. Nestas condições, os sindicatos de agentes penitenciários denunciam o aumento da insegurança nas prisões, onde “os detentos se amontoam em condições indignas”.

Em editorial, o jornal lembra que desde o governo de François Hollande que Paris tenta diminuir o número de presos para atenuar o problema. As propostas são “fruto de uma ideologia hostil ao encarceramento, visto como uma escola do crime, antes de mais nada, e uma violação aos condenados”, escreve o jornal conservador. No entanto, para enfrentar verdadeiramente a questão, Le Figaro avalia que não haverá escapatória a não ser construir novas penitenciárias.

Relatório mostra a precariedade dos imigrantes na França: 70% vivem abaixo da linha da pobreza

  Relatório mostra a precariedade dos imigrantes na França: 70% vivem abaixo da linha da pobreza A associação católica Caritas Fraça publicou nesta quinta-feira (7) seu relatório estatístico anual sobre pobreza na França, dedicado este ano à precariedade dos estrangeiros. O relatório deste ano chama a atenção para a precariedade dos estrangeiros (de fora da União Europeia) que são acolhidos pelas 3.500 equipes da associação espalhadas pelo território. Em 2018, a Cáritas recebeu quase 1,4 milhão de pessoas, sendo que 43% delas vieram de fora da União Europeia.E essa proporção aumenta de ano para ano, efeito de um aperto na política de migração, segundo Laurent Giovannoni, um dos líderes da associação.

Prostituição de menores preocupa

Outro assunto abordado nas páginas do jornal é a alta preocupante da prostituição de menores de idade na região parisiense. Em Seine-Saint-Denis, periferia pobre ao norte da capital, um terço das prostitutas tem menos de 15 anos, segundo dados do Observatório das Violências contra as Mulheres do departamento, citados pelo Figaro.

A entidade ressalta que 89% das adolescentes prostituídas foram vítimas de violência na infância. O observatório também alerta que 50% dos clientes contatam as menores de idade pelas redes sociais, uma situação que dificulta o trabalho da polícia e dos serviços sociais para coibir o crime.

Outro levantamento, do Observatório Nacional da Delinquência e das Respostas Penais, detalha que, dos mais de 2.100 casos de prostituição analisados, 88% eram maiores de idade – mas 18% destas começaram a se prostituir na adolescência. Um dado que também merece destaque é que a maioria das vítimas menores de idade vem de países da África subsaariana, em especial a Nigéria.

Protestos, prisões e gás lacrimogêneo no 1º ano dos “coletes amarelos” .
Os manifestantes “coletes amarelos” estão nas ruas de Paris e outras cidades francesas neste sábado (16) para marcar o 1º aniversário do movimento de contestação social, iniciado em 17 de novembro de 2018. Como de praxe, os protestos têm confrontos com a polícia, depredações e gás lacrimogêneo. Pelo menos 23 estações de metrô estavam fechadas nesta manhã na capital francesa, nos bairros nos quais os manifestantes costumam protestar, como no entorno da avenida Champs Elysées. Antes mesmo do início da manifestação, as primeiras confrontações entre as forças de ordem e manifestantes black blocs ocorreram na Praça da Itália, de onde partia o ato, no sul da cidade.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!