Mundo Israel mata 9 moradores de Gaza, dizem palestinos; Jihad Islâmica lança foguetes

15:10  13 novembro  2019
15:10  13 novembro  2019 Fonte:   reuters.com

Suprema Corte de Israel aprova expulsão de diretor da HRW

  Suprema Corte de Israel aprova expulsão de diretor da HRW Governo israelense acusou ativista da Human Rights Watch de apoiar movimento internacional de boicote ao país. Para ONG, decisão viola a liberdade de expressão. "Não seremos os últimos", afirma Omar Shakir.A Suprema Corte de Israel ratificou nesta terça-feira (05/11) a decisão de expulsar o cidadão americano Omar Shakir, diretor da ONG Human Rights Watch (HRW) em Israel e territórios palestinos. Ele foi acusado pelo governo israelense de apoiar uma campanha de boicote internacional contra o país.

Soldados israelenses sobre veículos blindados perto da fronteira com Gaza, no sul de Israel© Reuters/AMMAR AWAD Soldados israelenses sobre veículos blindados perto da fronteira com Gaza, no sul de Israel

Por Maayan Lubell e Nidal al-Mughrabi

JERUSALÉM/GAZA (Reuters) - Ataques aéreos israelenses mataram nove palestinos em Gaza nesta quarta-feira, disseram autoridades médicas, elevando a 19 o saldo de mortes de palestinos ao longo de uma escalada de violência de dois dias iniciada quando Israel realizou ataques para matar um comandante da Jihad Islâmica.

Logo de manhã, militantes de Gaza dispararam foguetes contra Israel e os militares israelenses revidaram do ar, retomando a ação após uma pausa de madrugada.

Israel mata líder militar palestino na Faixa de Gaza

  Israel mata líder militar palestino na Faixa de Gaza Israel mata líder militar palestino na Faixa de GazaAs sirenes de alarme foram acionadas em várias cidades de Israel, incluindo Tel Aviv, onde as escolas e universidades foram fechadas após os lançamentos de foguetes.

Os corpos de seis pessoas mortas na Cidade de Gaza foram levados ao hospital de Shifa em táxis e ambulância na manhã desta quarta-feira. Parentes choravam e gritavam, e médicos e testemunhas disseram se tratar de civis que moravam em bairros densamente povoados.

Um pai e seu filho estavam entre os mortos, e outro filho ficou ferido gravemente, disseram familiares.

"Eles começaram isso, não queríamos guerra", disse um parente enlutado.

Ainda nesta quarta-feira, militares israelenses disseram que retomaram os ataques a alvos da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza. Ataques aéreos eliminaram ao menos três equipes de lançamento de foguetes, disse um porta-voz militar.

A Jihad Islâmica confirmou que dois de seus militantes morreram em ataques separados no sul da Cidade de Gaza durante a manhã. Mais tarde, médicos disseram que outro homem foi morto por um ataque aéreo enquanto pilotava uma motocicleta.

Israel mata comandante da Jihad Islâmica em ataque aéreo

  Israel mata comandante da Jihad Islâmica em ataque aéreo Forças israelense bombardeiam casa de líder extremista na Faixa de Gaza. Militantes palestinos reagem disparando dezenas de mísseis contra Israel. Autoridades pedem que população fique em casa. © picture-alliance/AA/A. Amra Fumaça na Faixa da Gaza após bombardeio israelense contra moradia de comandante da Jihad Islâmica Um importante comandante militar do grupo extremista palestino Jihad Islâmica foi morto na madrugada desta terça-feira (12/11) num ataque aéreo israelita na faixa de Gaza, anunciaram as autoridades israelenses.

Os piores confrontos em meses irromperam na terça-feira depois que Israel matou Abu Al-Atta, um dos principais comandantes da Jihad Islâmica, grupo militante apoiado pelo Irã, acusando-o de conceber e planejar ataques contra o Estado judeu.

Em reação à morte de Atta e sua esposa, a Jihad Islâmica disparou cerca de 200 foguetes contra Israel na terça-feira, ação que reiniciou na manhã desta quarta-feira.

Apesar de tentativas de diplomatas para restaurar a calma, uma autoridade da Jihad Islâmica disse à Reuters que seu grupo informou a mediadores que pretende continuar com seus ataques retaliatórios.

Mas não surgiram sinais de que o Hamas, grupo islâmico muito maior que controla Gaza, está inclinado a entrar na disputa.

EUA deixam de considerar ilegais assentamentos israelenses na Cisjordânia .
Mudou posição de 40 anos do país. UE reitera ilegalidade do local“O estabelecimento de assentamentos israelenses na Cisjordânia não é em si incompatível com o direito internacional”, disse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em entrevista coletiva.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!