Mundo: Morales acusa OEA de fazer parte do golpe de Estado na Bolívia - - PressFrom - Brasil

Mundo Morales acusa OEA de fazer parte do golpe de Estado na Bolívia

16:40  13 novembro  2019
16:40  13 novembro  2019 Fonte:   msn.com

Rússia acusa oposição da Bolívia de desencadear onda de violência

  Rússia acusa oposição da Bolívia de desencadear onda de violência Rússia acusa oposição da Bolívia de desencadear onda de violênciaO presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou sua renúncia no domingo para reduzir a violência que atinge seu país desde o resultado polêmico da mais recente eleição, embora dizendo que fora vítima de um "golpe" e que enfrentava uma possível prisão tenha intensificado o receio de conflitos ainda maiores.

Evo fazia parte do grupo de políticos de esquerda na América Latina combatido por Bolsonaro. Mesmo assim, chegou a ser elogiado pelo A tensão na Bolívia vem escalando nas últimas semanas por conta de enfrentamentos entre apoiadores e críticos de Morales , que o acusam de fraude.

A renúncia à presidência de Evo Morales , que nesta segunda-feira chamou dirigentes opositores de O desenlace foi denunciado como um " golpe de Estado " pelos governos de esquerda da América Latina Os resultados de uma auditoria da Organização dos Estados Americanos ( OEA ) divulgada

(Arquivo) Policiais que se uniram a uma rebelião participam de uma marcha para protestar contra o presidente boliviano Evo Morales em Santa Cruz, Bolívia © DANIEL WALKER (Arquivo) Policiais que se uniram a uma rebelião participam de uma marcha para protestar contra o presidente boliviano Evo Morales em Santa Cruz, Bolívia

O líder indígena Evo Morales disse nesta quarta-feira que a OEA aderiu ao "golpe de Estado" que ele o forçou a deixar o poder na Bolívia. 

Em entrevista à W Radio Colombia, da Cidade do México, onde se asilou na terça-feira, Morales descreveu a Organização dos Estados Americanos (OEA) como "neogolpista", depois que denunciou sérias irregularidades nas eleições de 20 de outubro que desencadearam a crise boliviana. 

"Infelizmente, a OEA aderiu a esse golpe de Estado. Eu recomendo aos novos políticos da América Latina: cuidado com a OEA. A OEA é neogolpista para mim", afirmou o líder da esquerda. 

México denuncia "golpe" na Bolívia e reconhece Morales como presidente "legítimo"

  México denuncia México denuncia "golpe" na Bolívia e reconhece Morales como presidente "legítimo"O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, disse que o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não reconhecerá um governo de caráter militar na Bolívia.

Evo Morales em entrevista à TV estatal da Bolívia Imagem: GETTY IMAGES. O governo uruguaio faz "um apelo urgente" a todos os atores bolivianos para encerrar os atos de violência e Também no dia de ontem, a Organização dos Estados Americanos ( OEA ) recomendou a repetição do primeiro

Golpe de estado na Bolívia ! Golpe contra Evo Morales com a OEA cravando uma punhalada!", exclamou Maduro. " O povo chavista começa a partir deste momento um grande dia de mobilização", disse Diosdado Guaidó e a oposição acusam Maduro de ser reeleito de forma fraudulenta em 2018.

No domingo, Morales, 60, renunciou à presidência que ocupava desde 2006, depois de perder o apoio das Forças Armadas e da Polícia. 

Pouco antes, ele havia convocado novas eleições presidenciais após a denúncia da OEA e os protestos da oposição, que acusavam o então governante de obter um novo mandato através de fraude eleitoral. 

Morales questionou a proclamação da senadora de direita Jeanine Añez como presidente interina na Bolívia, insistindo que a saída da crise deve ser constitucional. 

"A única saída é respeitar nossa Constituição, recuperar a democracia; a única saída é respeitar o povo e principalmente os movimentos sociais", acrescentou. 

Nesse sentido, ele pediu às forças de segurança que não "disparem uma bala".

"Equipei as Forças Armadas não contra o povo, não para que sejam contra o povo, mas para que defendam a pátria. Lamento muito que as Forças Armadas estejam agora do lado de um golpe de Estado", afirmou. 

A Bolívia mergulhou no vácuo de poder desde domingo, quando Morales renunciou em meio a forte pressão nas ruas, forças de segurança e sindicatos, e às vezes violentos protestos após a votação de 20 de outubro. 

Segundo o Ministério Público da Bolívia, desde então sete pessoas morreram, quatro delas baleadas.

_____________________

Sobe para 32 n° de mortos na Bolívia; Evo Morales denuncia “genocídio” .
O ex-presidente Evo Morales insistiu nesta quarta-feira (20) que a repressão dos protestos na Bolívia é um "genocídio". O número de mortos desde o início da crise após as eleições de 20 de outubro, subiu para 32 pessoas. Ainda nesta quarta-feira, a presidente interina anunciou que convocará ainda hoje novas eleições no país. Os protestos contra a vitória contestada de Evo Morales para um quarto mandato culminaram com o cancelamento das eleições e a renúncia do líder indígena.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 1
Isto é interessante!