Mundo Protestos tomam universidades e estudantes estrangeiros começam a deixar Hong Kong

21:51  15 novembro  2019
21:51  15 novembro  2019 Fonte:   brasil.rfi.fr

Estudantes mascarados protestam durante formatura e voltam a desafiar governo de Hong Kong

  Estudantes mascarados protestam durante formatura e voltam a desafiar governo de Hong Kong Estudantes mascarados protestam durante formatura e voltam a desafiar governo de Hong KongHONG KONG (Reuters) - Estudantes de Hong Kong, muitos dos quais com máscaras pretas proibidas pelo governo, cantaram frases de protesto durante sua formatura na Universidade Chinesa nesta quinta-feira, alguns com cartazes que diziam "Hong Kong Livre, Revolução Agora".

e estudantes estrangeiros começam a deixar Hong Kong : Exército chinês intervém para limpar ruas de Hong Kong Pela primeira vez desde o início 21:51 15 novembro 2019 Fonte: brasil.rfi.fr. Protestos tomam universidades e estudantes estrangeiros começam a deixar Hong Kong

Os protestos em Hong Kong em 2019–2020 são uma série de manifestações em Hong Kong e em outras cidades da China que começaram em 31 de março de 2019, exigindo a retirada do projeto de lei de extradição, proposto pelo Governo de Hong Kong .

  Protestos tomam universidades e estudantes estrangeiros começam a deixar Hong Kong © REUTERS/Athit Perawongmetha

Os protestos pró-democracia se intensificam em Hong Kong, tomando esta semana as universidades locais. Estudantes europeus foram detidos durante manifestações. Alguns países ocidentais organizam a retirada de seus alunos que fazem intercâmbio no território.

Após 24 semanas de mobilização, o movimento de contestação do governo e contra a influência de Pequim no território ganhou um novo palco. Desde terça-feira (12), confrontos entre manifestantes e policiais foram registrados nas principais universidades de Hong Kong. As autoridades chegaram a declarar que as faculdades se tornaram um “refúgio de criminosos”.

Estudantes mascarados protestam durante formatura e voltam a desafiar governo de Hong Kong

  Estudantes mascarados protestam durante formatura e voltam a desafiar governo de Hong Kong Estudantes mascarados protestam durante formatura e voltam a desafiar governo de Hong KongHONG KONG (Reuters) - Estudantes de Hong Kong, muitos dos quais com máscaras pretas proibidas pelo governo, cantaram frases de protesto durante sua formatura na Universidade Chinesa nesta quinta-feira, alguns com cartazes que diziam "Hong Kong Livre, Revolução Agora".

Em 2014, os protestos representaram o equivalente, de Hong Kong , para o movimento brasileiro das Diretas Já. Entre 26 de setembro e 15 de dezembro, manifestantes paralisaram a cidade para exigir o direito de escolher seus representantes políticos. A fim de se proteger das bombas de gás, portavam

A Universidade Chinesa de Hong Kong cancelou todas as aulas a duas semanas do fim do semestre, após confrontos violentos entre estudantes e policiais. Ela planejava ficar até meados de dezembro, mas antecipou o regresso e deixou a universidade na noite de quinta-feira. Kita disse que teve que

Na quinta-feira (14), dois estudantes alemães que participavam dos protestos foram detidos, preocupando as autoridades ocidentais. Diante da situação, algumas instituições europeias, que têm alunos fazendo intercâmbio em Hong Kong, começam a se mobilizar.

As direções de cinco universidades holandesas aconselharam seus estudantes a deixarem rapidamente o território por razões de segurança. Algumas das instituições vão, inclusive, pagar a passagem de volta dos alunos.

“A situação é preocupante, se degrada e é imprevisível. Os confrontos se aproximam do campus”, disse Annelies van Dijk, porta-voz da Universidade de Amsterdã. “Os alunos não se sentem mais em segurança e as famílias começam se inquietar”. Atualmente, 280 alunos holandeses estão inscritos em estabelecimentos escolares na ex-colônia britânica.

Já do lado de Oslo, o Ministério das Relações Exteriores da Noruega disse em seu site que "os estudantes devem avaliar continuamente a segurança do campus se o ensino for interrompido devido a protestos". Boa parte das escolas e universidades de Hong Kong estão fechadas desde terça-feira.

Instituições francesas também acompanham a evolução dos conflitos com atenção. A universidade parisiense Sorbonne Nouvelle aconselhou seus alunos a deixarem Hong Kong. Os que decidiram ficar no território foram alojados em um hotel distante do campus.

Alunos chineses e taiwaneses também começaram a deixar as universidades do território após os confrontos violentos.

Exército chinês intervém para limpar ruas de Hong Kong .
Pela primeira vez desde o início do movimento pró-democracia em Hong Kong, os soldados chineses saíram por alguns minutos às ruas do território neste sábado (16). Os soldados intervieram para ajudar a limpar escombros e barricadas deixadas pelos manifestantes; uma presença militar simbólica que não foi solicitada pelo governo local, garante o Executivo de Hong Kong. As saídas dos militares chineses do quartel em Hong Kong são excepcionais. "Soldados do Exército Popular de Libertação (EPL) em Hong Kong ajudaram os moradores a limpar as estradas e foram aplaudidos pelos residentes", afirmou o exército na rede social Weibo.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 0
Isto é interessante!