Mundo: Alemanha tem que sustar ajuda militar à China, alerta Anistia Internacional - - PressFrom - Brasil

Mundo Alemanha tem que sustar ajuda militar à China, alerta Anistia Internacional

22:25  17 novembro  2019
22:25  17 novembro  2019 Fonte:   dw.com

Merkel e Pompeo adotam tom conciliador em Berlim

  Merkel e Pompeo adotam tom conciliador em Berlim Apesar de tensões, chanceler federal e secretário americano enfatizam amizade entre países durante encontro. Merkel afirma que Alemanha "nunca esquecerá" o papel dos EUA na Reunificação alemã. © Reuters/H. Hanschke Mike Pompeo à Angela Merkel: A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, adotaram nesta sexta-feira (08/11) um tom conciliador durante um encontro em Berlim e enfatizaram a "amizade íntima" entre os dois países. Na visita à capital alemã, Pompeo também criticou o autoritarismo na Rússia e na China.

ONG de direitos humanos não vê "razão justificável" para cooperação militar com Pequim, sobretudo à luz dos choques violentos entre manifestantes e forças estatais em Hong Kong.

Chefe de governo alemã, Angela Merkel, e seu homólogo chinês, Li Keqiang, em visita a Berlim, em 2013© AFP/Getty Images Chefe de governo alemã, Angela Merkel, e seu homólogo chinês, Li Keqiang, em visita a Berlim, em 2013

A organização Anistia Internacional (AI) pede ao governo alemão que deixe de treinar soldados chineses. O apelo foi feito pelo especialista em armamentos e direitos humanos da ONG, Mathias John, em entrevista ao semanário Bild am Sonntag, neste domingo (17/11).

"À luz da situação de direitos humanos na China, e do papel geral das Forças Armadas lá, não há razão justificável para a Alemanha ajudar a treinar militares chineses", advertiu. Referindo-se aos choques entre manifestantes e forças estatais em Hong Kong, John acrescentou que "o governo alemão devia emitir um sinal inequívoco e cessar imediatamente a cooperação militar".

Retomada de atividade nuclear no Irã deixa França, Alemanha e Reino Unido em estado de alerta

  Retomada de atividade nuclear no Irã deixa França, Alemanha e Reino Unido em estado de alerta Os ministros das Relações Exteriores da França, Alemanha e Reino Unido se mostraram “extremamente preocupados” após o Irã ter anunciado a retomada de suas atividades nucleares. Em um comunicado comum, que contou ainda com a assinatura de representantes da União Europeia, eles pediram que o regime iraniano respeite os acordos internacionais. Os signatários do comunicado divulgado nesta segunda-feira (11) lembraram que “a ação do Irã é contrária às disposições claras do JCPoA sobre Fordo e terá consequências potencialmente graves em termos de proliferação”.

Há meses a região administrativa especial chinesa tem sido sacudida por protestos violentos, desencadeados por uma proposta de lei – posteriormente retirada – que permitiria a extradição de suspeitos de crime para a China continental. Os policiais foram acusados de empregar força excessiva na supressão os protestos, que já resultaram em 11 mortes, mais de 2 mil feridos e 3 mhong konil prisões.

Segundo o Bild am Sonntag, um relatório militar altamente confidencial lista 62 países, inclusive a China, cujos soldados deverão participar de exercícios de treinamento conjuntos com militares alemães em 2020, nas áreas de gestão, logísticas e relações públicas e de imprensa.

Em resposta à exigência da Anistia Internacional, um porta-voz do Ministério da Defesa em Berlim teria informado que os soldados chineses participam regularmente de eventos educacionais organizados pelas Forças Armadas da Alemanha.

Esses incluem cursos e treinamentos para oficiais, ministrados em escolas militares, universidades e academias de liderança militar. "Nossa meta é partilhar os valores democráticos com cidadãos de outros países", afirmou o funcionário da pasta da Defesa.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no

Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Governo chileno respalda ação de forças de segurança; protestos continuam .
Governo chileno respalda ação de forças de segurança; protestos continuamSANTIAGO (Reuters) - O governo chileno respaldou nesta sexta-feira a atuação das forças de segurança durante os protestos intensos por demandas sociais que abalam o país há mais de um mês, período em que se relatou mais de 20 mortos e milhares de feridos.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!