Mundo: Manifestantes de Hong Kong são cercados em universidade em meio a temores de repressão - - PressFrom - Brasil

Mundo Manifestantes de Hong Kong são cercados em universidade em meio a temores de repressão

14:01  18 novembro  2019
14:01  18 novembro  2019 Fonte:   reuters.com

Manifestantes bloqueiam ruas em novo protesto em Hong Kong

  Manifestantes bloqueiam ruas em novo protesto em Hong Kong Governo americano demonstrou preocupação com violência    Ativistas utilizaram as redes sociais para encorajar estudantes a boicotar aulas e participar dos protestos. Pequenos grupos de jovens mascarados já foram vistos pelas ruas. Nas proximidades de uma universidade, as autoridades dispararam gás lacrimogêneo para tentar dispersar os manifestantes. Os serviços de transporte público continuam com atrasos e muitos ainda permanecem inativos.

Agentes de segurança entram em confronto com manifestantes ao tentar desocupar campus. Policial é atingido por flecha em meio a algumas das cenas mais Moradores de Hong Kong vestidos de preto e branco fizeram uma vigília no 20º aniversário da violenta repressão aos manifestantes

A polícia de Hong Kong cercou e invadiu a Universidade Politécnica (PolyU) nesta segunda (18), domingo no Brasil, depois de uma das mais violentas semanas no território desde que os protestos ganharam força, no início de junho. Cerca de 200 manifestantes estavam dentro do prédio no

Policial aponta arma para manifestantes que tentavam fugir de universidade durante confronto em Hong Kong© Reuters/THOMAS PETER Policial aponta arma para manifestantes que tentavam fugir de universidade durante confronto em Hong Kong

Por Jessie Pang e James Pomfret

HONG KONG (Reuters) - A polícia de Hong Kong sitiou uma universidade nesta segunda-feira, disparando balas de borracha e gás lacrimogêneo para reprimir manifestantes antigoverno munidos de coquetéis molotov e outras armas e impedi-los de fugir, em meio a temores de uma repressão sangrenta.

Sufocados com o gás lacrimogêneo, dezenas tentaram deixar a Universidade Politécnica rompendo as formações policiais depois de uma noite de caos na cidade sob controle chinês, durante a qual ruas foram interditadas, uma ponte foi incendiada e um policial foi atingido com arco e flecha.

Novas manifestações pró-democracia paralisam Hong Kong

  Novas manifestações pró-democracia paralisam Hong Kong Atos afetaram os serviços de transporte público do territórioOs protestos começaram na manhã desta quarta-feira (13) e os manifestantes contra o governo levantaram barricadas em diversas localidades. Os serviços de trens de Hong Kong também foram afetados, com o fechamento de duas linhas.

Agentes de segurança entram em confronto com manifestantes ao tentar desocupar campus. Policial é atingido por flecha em meio a algumas das cenas mais A polícia usou canhões de jatos d'água de colorida e gás lacrimogêneo para tentar afastar os manifestantes que ocuparam a universidade e

HONG KONG (Reuters) - Manifestantes de Hong Kong atiraram flechas e coquetéis molotov de uma barricada montada em uma universidade neste domingo, e a polícia respondeu com gás lacrimogêneo e canhões de água, em um dos dias mais violentos na cidade governada pela China, desde que

Muitos manifestantes, vestidos com roupas normais e sem máscaras, tentaram fugir, desviando de cilindros de gás lacrimogêneo e granadas de esponja, mas foram forçados a voltar para dentro do campus.

Alguns foram presos e derrubados no chão, enquanto outros corriam e saltavam sobre barricadas e cercas enquanto a polícia lhes apontava armas e desferiam murros.

"A polícia pode não invadir o campus, mas parece que está tentando pegar as pessoas enquanto elas tentam escapar", disse o parlamentar democrata Hui Chi-fung à Reuters.

"Não está nada promissor. Eles podem ser todos presos no campus. Parlamentares e a administração da escola estão tentando contato com a polícia, mas fracassaram".

A polícia disse que agentes foram mobilizados "na periferia" do campus durante uma semana, apelando para que os "arruaceiros" partam.

Estudantes de Hong Kong se preparam para novos confrontos com a polícia

  Estudantes de Hong Kong se preparam para novos confrontos com a polícia Estudantes de Hong Kong se preparam para novos confrontos com a políciaHONG KONG (Reuters) - Manifestantes pró-democracia paralisaram partes de Hong Kong pelo quarto dia seguido nesta quinta-feira, levando ao fechamento de escolas e bloqueio de vias, enquanto estudantes construíam barricadas e estocavam armas improvisadas em preparação para confrontos em diferentes locais.

A polícia cercou um campus universitário ocupado por manifestantes em Hong Kong e ameaçou usar armas de fogo com balas de verdade contra as pessoas no campus da Universidade Politécnica, a PolyU.Até As manifestações e a repressão policial têm causado tensão na cidade há meses.

Um policial de Hong Kong foi ferido neste domingo (17) na perna por uma flecha disparada por um manifestante durante confrontos violentos em um campus na Península de Kowloon, que nas últimas horas se tornou a principal base do protesto pró-democracia.

"Todos nossos alertas foram ignorados", disse a corporação em um comunicado. "Nossa mensagem foi alta e clara, a violência degenerou em tumulto".

Segundo a polícia, "produtos químicos tóxicos e perigosos" foram roubados do laboratório da universidade.

"Precisamos alertar que o campus da universidade se tornou um barril de pólvora onde o perigo está muito além do que podemos estimar", disse a polícia.

A corporação prendeu 154 pessoas de 13 a 54 anos de idade durante o final de semana. Trinta e oito pessoas ficaram feridas na madrugada de domingo, informou a Agência Hospitalar. Testemunhas da Reuters viram alguns manifestantes com queimaduras de produtos químicos lançados por canhões de água da polícia.

Os ativistas estão revoltados com o que veem como uma interferência da China nas liberdades prometidas a Hong Kong quando a ex-colônia britânica voltou ao controle chinês em 1997. Pequim se diz comprometida com a fórmula "um país, dois sistemas".

Trump diz ter impedido sozinho repressão chinesa a protestos em Hong Kong .
Trump diz ter impedido sozinho repressão chinesa a protestos em Hong KongEm uma de suas declarações mais bombásticas sobre as relações com a China até hoje, Trump contou em uma entrevista na televisão que disse ao presidente chinês, Xi Jinping, que reprimir os manifestantes de Hong Kong teria "um impacto negativo tremendo" nos esforços para se firmar um acordo que encerre a guerra comercial de 16 meses entre os EUA e a China.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!