Mundo: Confrontos entre manifestantes e militares deixam três mortos na Bolívia - - PressFrom - Brasil

Mundo Confrontos entre manifestantes e militares deixam três mortos na Bolívia

02:00  20 novembro  2019
02:00  20 novembro  2019 Fonte:   msn.com

Militares de Maduro impedem que Venezuela repita Bolívia

  Militares de Maduro impedem que Venezuela repita Bolívia Militares de Maduro impedem que Venezuela repita BolíviaCARACAS (Reuters) - Os líderes da oposição venezuelana, que procuram derrubar o governo socialista de seu país, talvez possam ter alguma esperança com a renúncia de seu aliado de esquerda na Bolívia, o presidente Evo Morales, no domingo, após semanas de protestos nas ruas.

Confrontos entre manifestantes e polícia deixa mortos e feridos na Bolívia . O número de mortos em quase um mês de manifestações na Bolívia , após a renúncia do ex-presidente Evo Morales Na última sexta-feira, manifestantes pró-Evo e militares entraram em confronto próximo a Cochabamba.

Resumo da notícia Manifestantes foram às ruas na Bolívia , Chile, Equador e Venezuela Protestos tiveram confrontos e violência Na Bolívia , organizações internacionais criticaram o "uso desproporcional da força militar e

Policiais de choque diante de manifestantes em Sacaba, Cochabamba, em 18 de novembro de 2019. © RONALDO SCHEMIDT Policiais de choque diante de manifestantes em Sacaba, Cochabamba, em 18 de novembro de 2019.

Confrontos entre manifestantes e militares que liberavam o acesso a uma central de combustíveis em El Alto, cidade vizinha a La Paz, deixaram três mortos e 30 feridos nesta terça-feira, um dia antes de a OEA discutir uma resolução pedindo eleições urgentes na Bolívia.

"Se constatou a existência de três mortos, dois deles confirmados (por impacto) de bala", inclusive Dayvi Posto Cusi, de 31 anos, disse um porta-voz da Defensoria do Povo à AFP.

Além disso, a entidade revisou para 30 o número de feridos, todos leais ao ex-presidente Evo Morales, que está asilado no México, após renunciar ao cargo em 10 de novembro, depois de ser reeleito em eleições denunciadas como fraudulentas pela oposição e a OEA, que encontrou "irregularidades".

Morales parte para asilo no México e Exército da Bolívia reforça segurança nas ruas

  Morales parte para asilo no México e Exército da Bolívia reforça segurança nas ruas Morales parte para asilo no México e Exército da Bolívia reforça segurança nas ruasLA PAZ (Reuters) - Evo Morales partiu na noite de segunda-feira a bordo de um avião militar rumo ao México para se asilar, ao final de um dia em que as Forças Armadas saíram às ruas de cidades da Bolívia para fazer frente ao que qualificaram como "grupos de vândalos", em meio à situação política convulsionada do país.

Confrontos entre manifestantes e polícia deixa mortos e feridos na Bolívia . O número de mortos em quase um mês de manifestações na Bolívia , após a renúncia do ex-presidente Evo Morales Na última sexta-feira, manifestantes pró-Evo e militares entraram em confronto próximo a Cochabamba.

Três horas depois, o túnel Cross-Harbour, que liga Kowloon à ilha de Hong Kong, foi novamente bloqueado com as cabines de pedágio destruídas pelos manifestantes . Nos últimos dias, as barricadas causaram um caos generalizado no trânsito no centro financeiro.

Um comunicado das Forças Armadas destacou que "agitadores e vândalos enfurecidos" atacaram e destruíram parcialmente a central de hidrocarbonetos de Senkata, "utilizando explosivos de alto poder". 

Pouco antes, uma força combinada de policiais e militares, apoiada por blindados e helicópteros, entrou na planta, ocupada há dias por manifestantes, para retomar em carros-tanque o abastecimento de combustível, cuja escassez começa a se aprofundar em La àz.

Do México, Morales escreveu no Twitter: "Eu denuncio ao mundo que o governo de fato no estilo de ditaduras militares novamente mata meus irmãos em El Alto, que resistem pacificamente ao golpe e lutam em defesa da vida e da democracia".

A presidente interina Jeanine Áñez (direita) assinou um decreto nos últimos dias, descrito pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) como "grave", que isenta os militares de processos penais se gerarem vítimas em suas tarefas de manutenção da ordem no país, convulsionado há um mês.

Protestos em Bagdá deixam 4 mortos e 53 feridos

  Protestos em Bagdá deixam 4 mortos e 53 feridos Protestos em Bagdá deixam 4 mortos e 53 feridosNa manhã desta quinta-feira, três manifestantes morreram depois de serem atingidos na cabeça por cilindros de gás lacrimogêneo, e outro morreu no hospital devido aos ferimentos causados por uma granada de atordoamento lançada pelas forças de segurança, disseram as fontes.

Bagdá viveu nas primeiras horas deste sábado uma nova noite de confrontos entre a polícia e os manifestantes , que ocupam a Praça Tahrir em Bagdá sem interrupção para pedir a "queda do regime", apesar das promessas de reforma por parte do governo.

Relacionadas. Bolívia tem 23 mortes em mês de crise; CIDH critica decreto pró- militares . Desde as eleições realizadas no dia 20 de outubro, a Bolívia vive uma grave crise, com pelo menos 20 mortos e mais de 500 feridos Confrontos entre manifestantes e polícia deixa mortos e feridos na Bolívia .

OEA 

Para tentar acalmar a situação, Áñez prometeu realizar eleições presidenciais e legislativas em breve, mas sem precisar a data.

A crise boliviana será analisada nesta quarta-feira pelo Consejo Permanente da OEA, órgão executivo do bloco regional com sede em Washington, que discutirá a proposta de Brasil e Colômbia pela adoção de um calendário eleitoral urgente e que dê todas as garantias democráticas.

A iniciativa instrui ainda a Secretaria Geral da OEA a conceder à Bolívia todo o apoio técnico "para que se dê o início imediato ao processo eleitoral, conforme os princípios de transparência, independência, credibilidade e confiança".

Nesse quadro conflituoso e de múltiplas pressões, a Igreja Católica mantém um espaço para o diálogo com autoridades e opositores para chegar a um acordo sobre a eleição das autoridades eleitorais e a convocação de novas eleições, depois das denúncias de fraude nas eleições presidenciais de 20 de outubro que desencadearam a crise atual.

ONU denuncia o uso desproporcional da força na Bolívia

  ONU denuncia o uso desproporcional da força na Bolívia A Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, denunciou neste sábado (16) "o uso inútil e desproporcional da força pela polícia e pelo Exército" na Bolívia. Ela lembrou que 17 pessoas morreram desde o início de contestação no país, 14 delas apenas nos últimos seis dias, após a renúncia e o exílio do ex-presidente Evo Morales no México. O uso excessivo de força "é extremamente perigoso" e pode levar a uma degradação da situação, acrescentou Michelle Bachelet em comunicado. A Alta Comissária da ONU condenou todas as mortes, mas ressaltou que as primeiras pessoas foram vítimas de confrontos violentos entre manifestantes rivais.

Confronto entre policiais e manifestantes deixa oito mortos na Bolívia . Comissão Interamericana de Direitos Humanos condenou atuação da polícia. Primeira presidente mulher da Bolívia foi de guerrilheira a fantoche dos militares . Após ser tirada do poder por militares , Lidia Gueiler deixou

Os distúrbios deixaram outro morto e vários feridos na cidade de Sirjan, também na região central do país. "Não sou um especialista e há opiniões diferentes, mas eu disse que se os líderes dos três poderes tomam uma decisão, eu Novos confrontos entre manifestantes e polícia em Hong Kong.

Cocaleros seguidores de Morales, que renunciou e está no México há uma semana, entraram em confronto na segunda-feira com militares e policiais na região de Cochabamba (centro), desejosos de continuar seu trajeto até La Paz, sede do poder executivo, para buscar a renúncia da presidente interina.

Os incidentes foram registrados nos arredores da cidade de Cochabamba (400 km a leste de La Paz), depois de outros confrontos violentos na cidade vizinha de Sacaba, que deixaram na sexta-feira nove mortos. Os cocaleros partiram dias antes da região de Chapare, reduto de Morales, para passar por Cochabamba e terminar em La Paz.

Na segunda-feira, enfurecidos pela morte de seus companheiros, os seguidores de Morales tentaram entrar na cidade à força, mas foram dispersos com gás lacrimogêneo e veículos blindados, enquanto a multidão respondia com pedras.

Em La Paz, indígenas aimarás seguem mobilizados, detonando fogos de artifício, sob vigilância policial.

Eleições gerais 

O poderoso líder regional de Santa Cruz e peça-chave na renúncia do ex-presidente, Luis Fernando Camacho, estabeleceu um prazo até quinta-feira para o Congresso eleger os membros do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE).

Israel bombardeia o Hamas na Faixa de Gaza depois da interceptação de 2 foguetes

  Israel bombardeia o Hamas na Faixa de Gaza depois da interceptação de 2 foguetes 1º ataque ao grupo que controla Gaza. Ataques têm sido à Jihad Islâmica , outro grupo islamita que atua no território, mais radical, mas menos poderoso que o Hamas.De acordo com as forças de segurança palestinas, os bombardeios não deixaram vítimas e atingiram uma região de 360 km quadrados, onde vivem 2 milhões de pessoas sob rígido bloqueio de Israel.Ataques à Jihad IslâmicaNa 3ª feira (12.nov.2019), 1 comandante da Jihad Islâmica foi morto pelo exército israelense. Como contra-ataque, o grupo lançou mais de 450 foguetes contra Israel.

Confrontos entre manifestantes e militares deixam três mortos na Bolívia . La Paz, 19 Nov 2019 (AFP) - Enfrentamentos entre manifestantes e Militares da Bolívia utilizam veículos blindados para liberar bloqueio a instalação de gás. Por Daniel Ramos e David Mercado. 19/11/2019 18h41.

O critério do Real Madrid para deixar Grêmio e Inter fora de reunião na Fifa. Encontro em Zurique teve como objetivo a criação de grupo de trabalho para tratar de detalhes do Mundial de Clubes de 2021.

"Exigimos eleições até 19 de janeiro de 2020, com a incorporação de novos atores e um Tribunal Eleitoral transparente e acima de tudo imparcial", escreveu Camacho no Twitter, sem especificar quais medidas  tomará se seus pedidos forem ignorados.

Todas os cargos do TSE ficaram vacantes desde a prisão de suas autoridades, após uma auditoria da OEA, mais de uma semana atrás, que constatou irregularidades na contagem de votos nas eleições de outubro que reelegeram Morales contra o ex-presidente Carlos Mesa.

Mesa e o também ex-presidente Jorge Quiroga pediram a Áñez que convoque eleições gerais o mais rápido possível, mesmo que por decreto presidencial, se o Parlamento - onde o partido de Morales é maioria - não conseguir organizar a formação do corpo eleitoral. 

A violência social na Bolívia, que começou após as eleições de 20 de outubro, qualificadas de fraudulentas pelos adversários de Morales, já deixou 27 mortos e mais de 400 feridos, segundo a Defensoria do Povo.

__________________

Filhos de Evo Morales deixam Bolívia e vão para a Argentina .
Filhos de Evo Morales deixam Bolívia e vão para a ArgentinaMorales está no México, sob asilo político. Os filhos haviam solicitado 1 salvo-conduto (documento que permite a seu portador transitar por 1 determinado território, em alguns casos com escolta) para deixar o país.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 2
Isto é interessante!