Mundo: Sobe para 32 n° de mortos na Bolívia; Evo Morales denuncia “genocídio” - - PressFrom - Brasil

Mundo Sobe para 32 n° de mortos na Bolívia; Evo Morales denuncia “genocídio”

21:22  20 novembro  2019
21:22  20 novembro  2019 Fonte:   brasil.rfi.fr

Chefe de polícia da Bolívia diz que não há mandado de prisão contra Morales

  Chefe de polícia da Bolívia diz que não há mandado de prisão contra Morales Chefe de polícia da Bolívia diz que não há mandado de prisão contra MoralesMorales, que renunciou no domingo em meio a conflitos resultantes da polêmica eleição de 20 de outubro, denunciara anteriormente no Twitter o que chamou de mandado policial "ilegal" para sua prisão, alegando que "grupos violentos" atacaram sua casa.

  Sobe para 32 n° de mortos na Bolívia; Evo Morales denuncia “genocídio” © AIZAR RALDES / AFP

O ex-presidente Evo Morales insistiu nesta quarta-feira (20) que a repressão dos protestos na Bolívia é um "genocídio". O número de mortos desde o início da crise após as eleições de 20 de outubro, subiu para 32 pessoas. Ainda nesta quarta-feira, a presidente interina anunciou que convocará ainda hoje novas eleições no país.

Os protestos contra a vitória contestada de Evo Morales para um quarto mandato culminaram com o cancelamento das eleições e a renúncia do líder indígena. A Procuradoria Geral da Bolívia confirmou hoje que oito pessoas morreram na terça-feira (19), durante uma operação policial-militar em uma fábrica de combustíveis na cidade de El Alto, vizinha a La Paz. Um primeiro balanço havia apontado apenas três mortes neste confronto.

México denuncia "golpe" na Bolívia e reconhece Morales como presidente "legítimo"

  México denuncia México denuncia "golpe" na Bolívia e reconhece Morales como presidente "legítimo"O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, disse que o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não reconhecerá um governo de caráter militar na Bolívia.

"Depois do golpe de Estado, temos cerca de 30 mortos. Este massacre é parte de um genocídio que ocorre em nossa querida Bolívia", disse Morales em uma entrevista coletiva à imprensa na Cidade do México, onde está exilado. "Estão matando meus irmãos e irmãs", completou.

Novas eleições

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, anunciou que convocará ainda nesta quarta-feira eleições gerais. Esta é uma das principais reivindicações de vários setores da sociedade para superar a crise e a polarização do país.

Áñez acrescentou que ainda não foi definido qual será o mecanismo legal de convocação da votação, se por uma lei aprovada no Congresso ou se por decreto presidencial, em caso de ausência de consenso político. O processo será observado por organismos internacionais e por outras instituições, como a Igreja católica, que vêm tentado mediar um diálogo interpartidário para agilizar uma nova disputa e definir o cronograma eleitoral.

Morales critica OEA e diz que entidade serve ao "império" dos EUA

  Morales critica OEA e diz que entidade serve ao Morales critica OEA e diz que entidade serve ao "império" dos EUA"A OEA tomou uma decisão política, não uma decisão técnica ou legal", disse Morales em entrevista coletiva na Cidade do México, onde ele chegou na condição de asilado na terça-feira.

A presidente interina adiantou que “tentará respeitar o máximo a Constituição". O Senado boliviano foi convocado para esta tarde, mas tudo indica que haverá complicações nos debates entre os apoiadores do governo interino e os parlamentares leais a Evo Morales.

OEA

A Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou hoje uma resolução em que garante apoio técnico à Bolívia "para que se dê início imediato ao processo eleitoral, em conformidade com os princípios de transparência, independência, credibilidade e confiança". O texto pede "o fim imediato da violência" e que as autoridades garantam, "de maneira plena e irrestrita", o respeito e a proteção dos direitos humanos.

Filhos de Evo Morales deixam Bolívia e vão para a Argentina .
Filhos de Evo Morales deixam Bolívia e vão para a ArgentinaMorales está no México, sob asilo político. Os filhos haviam solicitado 1 salvo-conduto (documento que permite a seu portador transitar por 1 determinado território, em alguns casos com escolta) para deixar o país.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!