Mundo França enfrenta segundo dia de greve contra reforma da Previdência

16:26  06 dezembro  2019
16:26  06 dezembro  2019 Fonte:   msn.com

Brasil empata com a França na segunda rodada do Mundial de handebol

  Brasil empata com a França na segunda rodada do Mundial de handebol O Brasil segue sem vencer, mas mostrou sinais de recuperação no Campeonato Mundial feminino de handebol. Na madrugada deste domingo, a equipe verde-amarela fez um jogo equilibrado e empatou com a poderosa França por 19 a 19. Na partida realizada no Ginásio Geral da Cidade de Yamaga, no Japão, as brasileiras precisaram mostrar poder de […]Foto: Divulgação

A França enfrenta nesta sexta-feira (6/12) o segundo dia de greve em protesto contra a reforma do sistema da Previdência planejada pelo governo do presidente Emmanuel Macron, que na véspera levou mais de 800 mil pessoas às ruas em todo o país.

Greve geral afeta transporte, escolas e serviços públicos na França . A França enfrenta nesta quinta-feira (5) um dia de greve geral contra o projeto de reforma da Previdência defendido pelo presidente Emmanuel Macron. A paralisação afeta vários serviços como trens, aviões, escolas e hospitais.

Manifestantes seguram bandeiras do sindicato durante uma manifestação para protestar contra a reforma da previdência, em Paris, como parte de uma greve geral nacional © Zakaria ABDELKAFI Manifestantes seguram bandeiras do sindicato durante uma manifestação para protestar contra a reforma da previdência, em Paris, como parte de uma greve geral nacional

A França enfrenta nesta sexta-feira o segundo dia de greve em protesto contra a reforma do sistema da Previdência planejada pelo governo do presidente Emmanuel Macron, que na véspera levou mais de 800.000 pessoas às ruas em todo o país.

Na quinta-feira, primeiro dia da paralisação nacional, considerada um teste crucial para Macron e sua agenda reformista, foram registrados protestos em mais 70 cidades, assim como greves nos transportes públicos e escolas.

Colômbia encara sétimo dia de protestos com tímida adesão à greve

  Colômbia encara sétimo dia de protestos com tímida adesão à greve Colômbia encara sétimo dia de protestos com tímida adesão à greveOs líderes da mobilização pretendem aumentar a pressão por meio da segunda greve em menos de uma semana contra o governo de direita que foi instalado há 15 meses.

A França vive nesta quinta-feira um dia de greve geral contra o projeto de reforma da Previdência defendido pelo presidente Emmanuel Macron. A paralisação

Projeto do governo Macron prevê a eliminação de 42 regimes de aposentadorias especiais.

A sexta-feira promete um dia similar, com quase todas as viagens de trens de longa distância canceladas, a maioria das linhas de metrô de Paris fechadas e centenas de voos cancelados.

Yves Veyrier, líder do sindicato FO, advertiu que a greve pode prosseguir até segunda-feira se o governo não adotar as medidas adequadas.

Às 8H00 de sexta-feira, as autoridades registravam 340 quilômetros de engarrafamentos nos acessos à capital.

Assim como na véspera, a empresa nacional de trens SNCF suprimiu 90% das viagens de longa distância e 70% dos trajetos com trens regionais.

Os parisienses precisam de paciência para chegar ao trabalho. Nove das 16 linhas de metrô permanecem fechadas, cinco funcionam com a capacidade reduzida e apenas duas, completamente automatizadas, funcionam de maneira normal.

Torre Eiffel fechada por greve na França

  Torre Eiffel fechada por greve na França Torre Eiffel fechada por greve na FrançaA Torre Eiffel, um dos monumentos mais visitados de Paris, permanecerá fechada nesta quinta-feira devido a uma greve França contra a reforma da Previdência impulsionada pelo presidente Emmanuel Macron, anunciou a companhia que a administra, Sete.

Mais de 70 pessoas foram presas em Paris por causa da violência nos protestos contra o projeto de reforma da Previdência no país. A França enfrentou o

A indignação popular foi motivada pela reforma da Previdência preparada pelo governo de Macron, uma promessa de campanha que tem como objetivo eliminar os 42 regimes especiais que existem atualmente e que concedem privilégios a determinadas categoria profissionais.

A Air France cancelou pelo segundo dia consecutivo 30% dos voos domésticos e 10% dos voos de média distância. O Eurostar, trem que cruza o Canal da Mancha, também deve ter viagens canceladas.

Os jornais de tiragem nacional não conseguiram publicar suas edições impressas e sete das oito refinarias do país estão em greve, o que aumenta o risco de falta de combustível se a mobilização continuar por mais dias.

A indignação popular foi motivada pela nova reforma da Previdência preparada pelo governo de Macron, uma promessa de campanha que tem como objetivo eliminar os 42 regimes especiais que existem atualmente e que concedem privilégios a determinadas categoria profissionais.

O governo pretende estabelecer um sistema único, por pontos, no qual todos os trabalhadores terão os mesmos direitos no momento de receber a aposentadoria.

Para o governo, este é um sistema mais justo e mais simples. Mas os sindicatos temem que o novo sistema adie a aposentadoria, atualmente aos 62 anos, e diminua o nível das pensões.

França : após levar 800 mil às ruas, mobilização contra reforma da Previdência continua

  França : após levar 800 mil às ruas, mobilização contra reforma da Previdência continua França : após levar 800 mil às ruas, mobilização contra reforma da Previdência continuaComo sempre após os grandes protestos, a França assiste a uma batalha de números. Para o ministério do Interior, 806 mil pessoas se manifestaram (65 mil em Paris). Já o sindicato CGT avança um total de 1,5 milhão, dos quais 250 mil na capital.

Milhares de pessoas de diferentes setores de atividade participaram na primeira jornada de greve geral de 2020, na quinta-feira (9). Sem cedências por parte do governo, que continua negociando o projeto de “ reforma ” do sistema de aposentadorias com a CFDT, a maior central sindical da França

Greve na França deixam as estações de trens vaziam. REUTERS/Benoit Tessier. A mobilização contra a reforma da Previdência na França entra nesta quinta-feira (19) em sua terceira semana. A SNCF indicou nesta quinta-feira em vai divulgar até o final do dia a lista dos trens que funcionarão

Macron, que estabeleceu como objetivo apresentar a reforma ao Parlamento no início de 2020, declarou na quinta-feira estar "determinado" a levar o projeto adiante.

O primeiro-ministro, Edouard Philippe, afirmou que vai apresentar as "grandes linhas" da reforma na próxima semana, pois até o momento não foi divulgado o conteúdo final da reforma.

Mas antes, na segunda-feira, a ministra da Solidariedade e Saúde, Agnès Buzyn, e o alto comissário para as pensões, Jean-Paul Delevoye, receberão os sindicatos para "negociar" vários pontos em uma reunião de último minuto anunciada nesta sexta-feira por Buzyn.

"Nós ouvimos a revolta dos franceses", disse, em referência aos protestos de quinta-feira, dando a entender que o Executivo pode fazer algumas concessões.

De acordo com uma pesquisa, 62% dos franceses apoiam a greve e 75% criticam a política econômica e social do governo Macron.

___________________

Greve continua na França e aumenta preocupação com transportes no Natal .
Greve continua na França e aumenta preocupação com transportes no NatalNeste sábado, entre 25% e 30% dos trens de alta velocidade e regionais estavam em operação no país. Em Paris, nove linhas de metrô estavam fechadas, de um total de 16, e pouco mais da metade dos ônibus estavam em circulação.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 1
Isto é interessante!