Política Bolsonaro, Maia e Alcolumbre terão reunião sobre Orçamento impositivo

23:30  10 março  2020
23:30  10 março  2020 Fonte:   poder360.com.br

Alcolumbre diz a Bolsonaro que não irá mais tolerar ataques ao Congresso

  Alcolumbre diz a Bolsonaro que não irá mais tolerar ataques ao Congresso Alcolumbre diz a Bolsonaro que não irá mais tolerar ataques ao Congresso . Até agora, Alcolumbre havia sido um dos poucos políticos que não tinha feito comentários públicos sobre a crise que teve seu ápice com a declaração do ministro da Segurança Institucional, general Augusto Heleno, de que o Congresso chantageia o Executivo ao votar matérias apenas em troca de recursos. © Dida Sampaio / Estadão Alcolumbre e Bolsonaro se reuniram nesta segunda-feira, 2 Essa foi a primeira vez que Alcolumbre e Bolsonaro sentaram para conversar depois que a crise entre os poderes se agravou.

Até quando Maia e Alcolumbre vão se calar? Ele disse ainda que os políticos não devem ter medo de movimentos de rua. Ele disse que há pessoas na administração pública que não pensam em nada além Na avaliação de congressistas, a declaração de Bolsonaro no sábado foi uma reação a Maia .

Maia , em viagem à Europa, e Alcolumbre , que passou o carnaval em Macapá, ainda não Derrubar todos os vetos de Bolsonaro ao projeto que amplia o orçamento impositivo entrou Vou defender o Congresso, vou defender a democracia que jurei defender. E não tenho medo de você, Bolsonaro .

Da esquerda para a direita: o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada © Marcos Corrêa/PR Da esquerda para a direita: o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada

Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre terão reunião decisiva quando o presidente da República voltar dos EUA para Brasília para colocar 1 ponto final na controvérsia sobre o Orçamento impositivo. O encontro será nesta semana.

A expectativa do dentro do governo é que essa reunião —ainda não há horário e local acertados— possa encontrar uma narrativa em que nenhum dos lados saia perdedor.

O que está sugerido aos 3 presidentes (da República, da Câmara e do Senado) é que se reúnam a sós, sem outros ministros. “Essa é hora de general falar com general. Não tem de ter coronel Ramos, coronel Guedes nem outros”, diz o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), descrevendo como pode ser a reunião entre Bolsonaro, Maia e Alcolumbre.

Congresso espera novo projeto do governo sobre Orçamento impositivo para analisar vetos

  Congresso espera novo projeto do governo sobre Orçamento impositivo para analisar vetos Promessa de envio do texto foi feita por ministros ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre BRASÍLIA - Parlamentares aguardam nesta terça-feira, 3, que o governo envie um novo projeto para regulamentar o chamado Orçamento impositivo. O acordo, segundo deputados, é que o texto seja enviado antes da sessão que vai analisar vetos do presidente Jair Bolsonaro e pode definir o controle de R$ 30 bilhões dos recursos previstos neste ano.

Bolsonaro recebeu relatos de líderes partidários de que melhorou o clima no Senado para a Eles inovaram ao tornar obrigatória também a execução de emendas do relator do Orçamento e de À Folha, Maia disse que Alcolumbre vai representar o Congresso na conversa com Bolsonaro .

O Congresso deve derrubar nessa quarta-feira o veto de Jair Bolsonaro a um dos dispositivos da LDO, que se fosse aprovado comprometeria a plena aplicação do orçamento impositivo , aprovado O acordo foi anunciado pelos presidentes da Câmara e do Senado após uma reunião com o ministro

Interessa ao Palácio do Planalto que não prevaleça a versão de que o Congresso esteja subtraindo uma parte do Orçamento para usar à revelia do Poder Executivo.

Estão em jogo 3 projetos de lei (chamados de PLNs) que mudam as regras orçamentária. Em teoria, liberariam cerca de R$ 15 bilhões extras para deputados e senadores agregarem a emendas impositivas ao Orçamento.

Há uma guerra de interpretação a respeito de quanto dinheiro extra iria para os deputados e senadores. O Planalto acha que dos R$ 15 bilhões, a maior parte poderia ser “contingenciada” (não liberada) e que sobrariam, na realidade, só perto de R$ 4 bilhões. No Congresso a interpretação diferente, com alguns políticos dizendo que o valor é até maior e pode chegar a R$ 20 bilhões.

Davi Alcolumbre diz que veto ao Orçamento impositivo deve ser mantido

  Davi Alcolumbre diz que veto ao Orçamento impositivo deve ser mantido Davi Alcolumbre diz que veto ao Orçamento impositivo deve ser mantido e a votação ocorrerá ainda nesta 3ª feira (3.mar.2020).O político falou ao chegar à Câmara, onde preside a sessão conjunta do Congresso com essa pauta. Nos dias anteriores e até pouco antes de chegar ao Congresso ele tentava costurar 1 acordo que mantivesse no Legislativo o poder das emendas de relator.Esse dispositivo garantiria ao relator do Orçamento, Domingos Neto (PSD-CE), a palavra final sobre o destino de cerca de R$ 30 bilhões. Esse é o principal trecho vetado por Bolsonaro.

A definição dos R$ 15 bilhões de Orçamento sob controle do relator no Congresso foi fruto de Antes do acordo, a previsão estabelecida no texto era que o relator do Orçamento controlasse R$ 30,1 Deputados bolsonaristas têm tentado criar a narrativa de que o presidente foi induzido ao erro e não

General reage a maia e alcolumbre e mostra para os traidores que bolsonaro tem os militares ao seu lado. Mega ESC4NDAL0 de maia e alcolumbre EXPL0DE no congresso "petistas em reunião de URGÊNC14"

A saída possível é dizer que esse valor poderá até ser concedido ao Congresso, mas apenas depois de haver mais receita garantida por meio da aprovação de reformas que estão no Congresso. Ficaria eliminada a narrativa de que o Planalto simplesmente está cedendo de antemão para ter alguma coisa em troca. Não é uma engenharia política fácil de ser empreendida –é por isso que está sendo articulada a reuniões dos 3 presidentes.

Uma parte do Congresso considera que o Planalto já havia concordado em dar os cerca de R$ 15 bilhões extras do Orçamento para emendas. A solução para esse impasse é vital para que projetos de reforma voltem a andar.

Nesta semana já não há expectativa de avanços significativos com as reformas. Se Bolsonaro, Maia e Alcolumbre chegarem a 1 entendimento, tudo pode ser retomado na semana que vem.

___________________________

Maia diz que Orçamento impositivo agora é assunto secundário .
O presidente da Câmara dos Deputados minimizou, no contexto do coronavírus, disputa entre governo e parlamentares pelo controle de R$ 30 bilhões do Orçamento

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 1
Isto é interessante!