Política Governo considera imprevisível reação do ministro da Saúde

18:51  25 março  2020
18:51  25 março  2020 Fonte:   estadao.com.br

Governo libera mais de R$ 424 milhões para Estados enfrentaram coronavírus

  Governo libera mais de R$ 424 milhões para Estados enfrentaram coronavírus Governo libera mais de R$ 424 milhões para Estados enfrentaram coronavírus

BRASÍLIA - O governo não considera neste momento demitir o ministro da Saúde , Luiz Henrique Mandetta, mas diante da pressão da classe médica Mandetta esteve no Palácio do Planalto na manhã desta quarta-feira, 25. Participou de reunião com Bolsonaro, ministro e governadores do

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - No fim do ano passado, um grupo de 40 motociclistas aglomerou-se na porta da Granja do Torto, uma das residências oficiais do Poder Executivo. Antes da chegada de Jair Bolsonaro, que tomaria posse dias depois

Presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta em coletiva na quarta-feira, 18 © Dida Sampaio/Estadão Presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta em coletiva na quarta-feira, 18

O governo não considera neste momento demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, mas diante da pressão da classe médica, governadores do DEM, aliados do presidente Jair Bolsonaro, afirmam que é imprevisível a decisão que o chefe da pasta poderá tomar.

Acompanhe nossa cobertura sobre o coronavírus.
Últimas notícias, perguntas e respostas e como se cuidar.


Mandetta esteve no Palácio do Planalto na manhã desta quarta-feira, 25. Participou de reunião com Bolsonaro, ministro e governadores do Sudeste, horas após o presidente afirmar que cobraria do Ministério da Saúde regras mais brandas sobre isolamento contra a covid-19, que se restringiriam apenas a grupos de risco -- idosos e pessoas com doenças crônicas.

Moro: está em avaliação possibilidade de fechamento temporário da fronteira com outros países

  Moro: está em avaliação possibilidade de fechamento temporário da fronteira com outros países Moro: está em avaliação possibilidade de fechamento temporário da fronteira com outros países

Nove ministros do ex-Presidente, José Eduardo dos Santos, mantêm funções no novo Executivo. Diamantino Pedro Azevedo é o detentor da pasta dos Manuel Tavares de Almeida assume o cargo de ministro da Construção e Obras Públicas; Sílvia Paula Lutucuta, está na pasta da Saúde ; Maria

Há um consenso entre as entidades de classe da categoria de que o governo já cedeu o suficiente. Mas muitos caminhoneiros não se sentem representados pelos sindicalistas em Brasília e só prometem parar quando puderem ver o preço menor do diesel nas bombas.

Na reunião, Mandetta pediu calma e equilíbrio aos governadores, mas não chegou a endossar o discurso do presidente, segundo pessoas presentes.

Para aliados do ministro, ele não deve pedir demissão. A estratégia de Mandetta deve ser “sair pela tangente”, tentando apresentar dados sobre locais que desistiram de medidas mais flexíveis para conter a crise, como o Reino Unido. O ministro, no entanto, já teria demonstrado cansaço pela queda de braço com Bolsonaro.

Segundo fontes da linha de frente de discussões sobre combate à covid-19 no governo, há grande preocupação sobre o impacto econômico de medidas mais restritivas, o que levou Bolsonaro a pensar em alternativas menos duras. Ainda assim, também é reconhecido no Palácio do Planalto que a saída de Mandetta geraria uma crise na hora errada. “Não se tira o general durante uma batalha”, disse um integrante do governo.

Hospital usado por Bolsonaro diz não ter sido notificado sobre decisão de divulgar exames

  Hospital usado por Bolsonaro diz não ter sido notificado sobre decisão de divulgar exames Hospital usado por Bolsonaro diz não ter sido notificado sobre decisão de divulgar exames"Até o momento, o Hospital das Forças Armadas (HFA) não recebeu qualquer notificação por parte da Justiça", disse o ministério, em nota. Segundo a Defesa, "todas as notificações positivas para covid-19 estão sendo informadas como preconizado".

A erupção vulcânica na ilha do Fogo levou o Governo de Cabo Verde a adiar a primeira cimeira sobre a regionalização no Segundo os especialistas a situação continua imprevisível . Também a visita do Primeiro- ministro da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira, a Cabo Verde que estava prevista

Normalmente, chama-se Governo ou Gabinete ao conjunto dos dirigentes executivos do Estado, ou ministros (por isso, também se chama Conselho de Ministros ). Quando o chefe de Estado não é chefe de governo , existe uma divisão dos poderes.

Por ora, a leitura é de que mesmo se o governo adotar o “isolamento vertical”, a medida tem de ser posta com muito cuidado e forte estratégia de comunicação.

O pronunciamento de Bolsonaro em rede nacional de TV nesta terça-feira, 24, deixou autoridades da saúde e gestores de estados e municípios perplexos. Aliado de primeira viagem do presidente, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), disse nesta quarta-feira, 25, que as decisões de Bolsoanro não vão “alcançar” seu Estado.

"Quero deixar claro a todos os senhores e senhoras, a todo o meu povo goiano, com muita tranquilidade, mas com autoridade de governador e com o juramento de médico, que não abro mão dele, que as decisões do presidente da República no que diz respeito a área de Saúde e o coronavírus não alcança o estado de Goiás. As decisões de Goiás serão tomadas por mim e por decisões lavradas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo corpo técnico do Ministério da Saúde."

Primo de Mandetta, o deputado federal Fabio Trad (PSD-MS) defendeu que o ministro mantenha o discurso, mesmo que lhe custe a demissão do governo. “Ele fez um juramento ao se formar, pela ciência e não pela politicagem. Entre Hipócrates e Bolsonaro, pela integridade intelectual de Mandetta, tem de ficar com Hipócrates”, afirmou o deputado ao Estadão/Broadcast.

Dentro do DEM, há forte pressão para Mandetta não aderir ao discurso de Bolsonaro. Entre outra razões, porque haveria desgaste político de governadores e prefeitos que estão seguindo estas orientações.

___________________________

Estoques de equipamentos de proteção aguentam mais 20 dias, diz ministério .
Repassou 40 milhões de itens. A Estados e municípios. Concorrência é obstáculoOs materiais são necessários nos serviços de saúde, portanto, é natural que, assim que se receba os produtos, eles sejam descentralizados para os estoques regionais. A pasta diz manter “esforço constante na aquisição de mais equipamentos e insumos, buscando fornecedores nacionais e internacionais“.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 2
Isto é interessante!