Política Governadores contrariam Bolsonaro e reiteram manutenção de isolamento para combater coronavírus

00:55  26 março  2020
00:55  26 março  2020 Fonte:   estadao.com.br

Bolsonaro critica governadores: 'Medidas extremas que não competem a eles'

  Bolsonaro critica governadores: 'Medidas extremas que não competem a eles' Presidente defende que sejam estabelecidas medidas ''equilibradas'' para conter a doença e para minimizar os impactos na economia . Afirmou que, apesar de o novo coronavírus ser letal, muitos podem morrer de fome por não terem condições de comprar alimentos. "A pessoa com a alimentação deficitária é mais propensa a pegar o vírus e complicar a situação sanitária", afirmou. Para ele, a situação é mais grave para o trabalhadores informais, sem vínculo empregatício. O mandatário afirmou que, por conta da redução de movimento nas ruas, muitos estão em casa sem conseguir vender.

ISOLAMENTO VERTICAL. Bolsonaro também rebateu as críticas que sofreu pelo pronunciamento que fez na véspera em rede nacional, no qual voltou a minimizar a pandemia de coronavírus e criticou medidas de restrição à circulação. Bolsonaro defendeu o que chamou de " isolamento vertical"

As declarações de Bolsonaro ocorrem em meio a diversas ações de governos estaduais para restringir a O presidente atacou governadores e disse que eles precisam "abandonar o conceito de terra Apesar de ter pregado a volta à normalidade, contrariando orientações de especialistas de

Doria e Maia durante encontro na Prefeitura de São Paulo em fevereiro de 2018 © Tiago Queiroz/Estadão Doria e Maia durante encontro na Prefeitura de São Paulo em fevereiro de 2018

Em reunião virtual sem a participação do presidente, Jair Bolsonaro (sem partido), e com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), governadores reiteram nesta quarta-feira, dia 24, os procedimentos de isolamento adotados para conter a pandemia do novo coronavírus. A manutenção das medidas recomendadas por epidemiologistas foi uma das tônicas da videoconferência, e o governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), foi o único que relativizou as medidas restritivas.

Acompanhe nossa cobertura sobre o coronavírus.
Últimas notícias, perguntas e respostas e como se cuidar.

Outro ponto unânime foi o pedido para que Maia agilize a aprovação do Plano Mansueto – plano de equilíbrio fiscal enviado ao Congresso em junho de 2019 – para ter condições fiscais de atender algumas cadeias produtivas. Além disso, os governadores de Roraima e Tocantins pediram apoio da Funai em relação às comunidades indígenas de seus Estados.

Bolsonaro define que Brasil terá quarentena só para idosos com comorbidade

  Bolsonaro define que Brasil terá quarentena só para idosos com comorbidade Bolsonaro define que Brasil terá quarentena só para idosos com comorbidade . Ele disse vai pedir ao ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) que seja feito 1 “isolamento vertical” dos grupos de risco para o novo coronavírus (covid-19). Acompanhe nossa cobertura sobre o coronavírus.Últimas notícias, perguntas e respostas e como se cuidar. “Pô, cara [jornalista], você quer que eu faça o que? Que eu tenha o poder de pegar o idoso? É a família dele que tem que cuidar dele em 1º lugar. O povo tem que parar de deixar nas costas do poder público. Aqui não é uma ditadura, aqui é uma democracia”, disse.

Governadores reagiram ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia do coronavírus na noite desta terça-feira (24). O presidente pediu a "volta à normalidade", o fim do "confinamento em massa" e disse que os meios de comunicação espalharam "pavor".

A conduta de Bolsonaro de buscar a atenuar a pandemia do coronavírus --já chamada por ele de "gripezinha"-- impulsionou esses protestos Outra marca da resposta de Bolsonaro à pandemia tem sido a troca de acusações com governadores , principalmente com João Doria (PSDB), de São

A reunião foi mediada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB) – pré-candidato à Presidência em 2022 –, apesar do coordenador do Fórum de Governadores ser Ibaneis Rocha, do Distrito Federal. Mais cedo, o mandatário paulista e o presidente da República protagonizaram um embate. Na condução do encontro virtual, Doria determinou que os governadores falariam em órdem alfabética e que cada um teria um tempo de cerca de três minutos.

O mais crítico dos presentes em relação à postura de Bolsonaro, Doria citou o último pronunciamento do mandatário. "O presidente Jair Bolsonaro teve reunião com governadores do Centro-Oeste, Norte, Sudeste e Sul e ele não teve a delicadeza de dizer que falaria a vocês em cadeia nacional de rádio e TV", argumentou. Sobre o embate, Doria afirmou que foi respeitoso com o presidente e que o considerou desrespeitoso.

Brasil tem 57 mortes por coronavírus, de acordo com Ministério da Saúde

  Brasil tem 57 mortes por coronavírus, de acordo com Ministério da Saúde Segundo dados atualizados do Ministério da Saúde, o aumento de óbitos foi de 24% em um dia

Combate ao coronavirus . Governadores dizem que manterão medidas de isolamento apesar da fala de Bolsonaro . Maioria criticou presidente, que contrariou recomendações de especialistas do mundo todo ao pregar fim do 'confinamento em massa'.

Leite saudou a mudança de postura do presidente Jair Bolsonaro em relação às medidas de combate ao coronavírus . Agora o presidente chama estas reuniões e isso é saudável¨, completou Leite. Além de Bolsonaro e dos governadores , participaram da reunião on-line os ministros Paulo Guedes

"Hoje pela manhã fui respeitoso com o presidente. Não levantei meu tom de voz, não ofendi. Apenas registrei como governador e brasileiro a minha posição contrária aos temos usados em rede nacional para falar aquilo que os brasileiros não querem ouvir. Os brasileiros querem um presidente que lidere seu Pais", defendeu. "Considerei desrespeitoso. Ele propôs uma reunião de conciliação, de entendimento e harmonia com o governadores do Brasil e teve um gesto absolutamente equivocado, maldoso em relação aos brasileiros como ele formulou em rede nacional de televisão", acrescentou.

Medidas restritivas

"Vamos manter as medidas adotadas pelo estado de Sergipe seguindo as orientações do Ministério da Saúde e dos médicos da área. Não vamos recuar nenhum milímetro no trabalho que estamos fazendo", afirmou o governador de Sergipe. Benivaldo Chagas (PSD).

"Pernambuco ontem teve seu primeiro óbito por coronavírus. Isso só nos faz reforçar todo o entendimento que tem sido colocado em prática desde o início dessa pandemia no Brasil. As restrições que estão sendo feitas estão no caminho correto. Os Estados têm que se preparar", defendeu Paulo Câmara (PSB).

Bolsonaro: 'Não pode impor isolamento, como alguns Estados fizeram'

  Bolsonaro: 'Não pode impor isolamento, como alguns Estados fizeram' Bolsonaro: 'Não pode impor isolamento, como alguns Estados fizeram'"Parece que há interesse por parte de alguns governadores de inflar o número de vitimados do vírus. Daria mais respaldo para eles, para justificar as medidas que tomaram", defendeu Bolsonaro. Para o mandatário, há restrições a uma "quarentena maior que está aí porque esse pessoal vai ter dificuldade para sobreviver”. Ele disse tratar da doença, da preservação da vida e do emprego simultaneamente.

Durante as manifestações, gritos de "fora, Bolsonaro " e “fascista” foram ouvidos. No pronunciamento, o presidente pediu que prefeitos e governadores parem com medidas de isolamento . Em reação a pronunciamento de Bolsonaro sobre a pandemia do coronavírus , presidente do Senado afirma que

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira o isolamento parcial de pessoas em meio à pandemia Bolsonaro é alvo de panelaço durante pronunciamento sobre coronavírus . Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, governadores criticaram o pronunciamento desta terça em que o

Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro, criticou o pronunciamento do presidente e relatou ter reiterado a determinação de isolamento aos prefeitos de seu Estado. " Nós nos pautamos pela avaliação dos técnicos, peritos e decidimos com base nessas informações. Qualquer decisão pautada no achismo está sujeita à responsabilização direta daquele que o faz", afirmou.

"Pronunciamento em rádio e televisão em cadeia nacional não é área jurídica, é manifestação política e não tem qualquer reflexo na determinação do que se deve e não deve fazer. Razão pela qual eu eu já reforcei aqui aos prefeitos que as determinações continuam. E todos os governadores precisam estar atentos a esse grave problema", acrescentou.

Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, pediu que governadores tenham cuidado caso Bolsonaro resolva os responsabilizar pela queda de índices econômicos. "É importante lembrar que o presidente simplesmente vive no conflito – a sua história e sua trajetória política foram sempre de confrontos e conflitos – e o que nós estamos observando agora é que os nossos esforços, se der tudo certo, vão garantir a saúde e a vida de muitos brasileiros, (serão apontados como motivo pelo qual) teremos um problema econômico. Me parece sugerir que, no final das contas, ele vai dizer que (o crescimento em seu governo) não foi tudo aquilo que se projetava porque tivemos problemas econômicos por conta das ações dos governadores", ponderou.

Acusado de fake news, Bolsonaro apaga post contra governadores

  Acusado de fake news, Bolsonaro apaga post contra governadores Acusado de fake news, Bolsonaro apaga post contra governadoresNa postagem de Bolsonaro, 1 homem mostrava o Ceasa vazio e dizia que os governadores –uma “corja” e “canalhas”– eram os responsáveis pelo desabastecimento, uma vez que impuseram medidas de isolamento em seus Estados. O presidente postou o vídeo 1 dia depois do pronunciamento em rede nacional onde havia abaixado o tom e não criticado o distanciamento social.

Estados Unidos aprovam pacote de US$ 2 trilhões para combater pandemia do coronavírus . O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira o isolamento parcial de pessoas em meio à Bolsonaro ainda criticou as medidas restritivas adotadas por governadores para diminuir a

As críticas de Bolsonaro ao isolamento social também contrariam orientações da OMS e do próprio Ministério da Saúde. Em consonância com a pasta, estão apenas as recomendações de que Bolsonaro realizou dois testes para o coronavírus , obtendo resultados negativos para o diagnóstico.

Já o governador de Roraima, Antonio Oliverio Garcia de Almeida, conhecido como Antonio Denarium, pediu serenidade na negociação com o governo federal. "O presidente Bolsonaro foi receptivo às nossas solicitações. Agora precisamos regulamentar isso e abrir um diálogo com o presidente da República", afirmou.

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador do Mato Grosso do Sul, defendeu a necessidade dos governadores enviarem ofício aos organismos internacionais (como o Banco Muncial) para pedir para jogar as parcelas de 2020 de dívidas e jogar no final do contrato. "Muitos Estados são devedores desses organismos internacionais", explicou.

Exceção

Exceção entre governadores, Mauro Mendes adotou tom crítico às medidas restritivas por receio do impacto econômico. "Eu não posso tomar no Mato Grosso a mesma medida que São Paulo tomou porque aqui tem treze vezes menos confirmação do que São Paulo em uma área três vezes maior. Eu morro de medo dos reflexos econômicos dessas restrições", disse.

__________________________

Bolsonaro diz que tem ‘decreto pronto’ para mandar comércios reabrirem .
Bolsonaro diz que tem ‘decreto pronto’ para mandar comércios reabrirem“Eu tenho 1 decreto pronto na minha frente pra ser assinado, se preciso for, considerando atividade essencial toda aquela exercida pelo homem ou mulher através da qual seja indispensável para ele levar o pão pra casa todo dia”, disse em entrevista aos jornalistas Augusto Nunes, Vitor Brown e José Maria Trindade, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 2
Isto é interessante!