Política Bastidores: Discurso mais brando de Bolsonaro foi vitória da ala moderada

05:05  01 abril  2020
05:05  01 abril  2020 Fonte:   estadao.com.br

Bastidores: Pronunciamento de Bolsonaro foi feito com ajuda de Carlos e 'gabinete do ódio'

  Bastidores: Pronunciamento de Bolsonaro foi feito com ajuda de Carlos e 'gabinete do ódio' Bastidores: Pronunciamento de Bolsonaro foi feito com ajuda de Carlos e 'gabinete do ódio'

Temor de protestos e expectativa com o discurso : o que esperar da estreia de Bolsonaro na Bolsonaro vai discursar no dia 24 de setembro na abertura da Assembleia Geral da ONU. Interlocutores do presidente aconselham que ele faça uma exposição moderada para evitar novos

O presidente Jair Bolsonaro faz nesta terça-feira, 24, o discurso de abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. E vai ser um fracasso.

Presidente Jair Bolsonaro durante pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV © TV Brasil / Reprodução Presidente Jair Bolsonaro durante pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV

BRASÍLIA – O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na noite desta terça-feira, 31, sobre a pandemia do coronavírus foi considerado um alívio para integrantes do governo e aliados. Eles temiam que o chefe do Executivo ficasse ainda mais isolado ao confrontar publicamente medidas do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Nos últimos dias, ministros atuaram para convencer o presidente de que era preciso baixar o tom e passar uma imagem de “serenidade” e “união” para a população. Um dos argumentos é que as proporções da covid-19 ainda são incalculáveis, assim como prejuízos políticos.

Tinga, ex-jogador, é próximo de Bolsonaro? O que faz o ex-volante de Grêmio e Inter?

  Tinga, ex-jogador, é próximo de Bolsonaro? O que faz o ex-volante de Grêmio e Inter? Ex-jogador se encontrou com Bolsonaro na última terça-feira, mas explica que não participou de reunião sobre pronunciamento do presidente da RepúblicaApós o ocorrido, inclusive, diversos clubes se uniram através das redes sociais para criar a campanha #FiqueEmCasa. Mas, além disso, um velho conhecido do futebol brasileiro foi ligado ao discurso do político. De acordo com a Folha de São Paulo, o pronunciamento foi elaborado em uma reunião do presidente com alguns membros de sua confiança e com o objetivo de polarizar o debate, tentando chamar o eleitorado bolsonarista para sair em defesa do presidente.

Após uma primeira live, Jair Bolsonaro , após participar de uma prece, leu o seu discurso da vitória . Bastidores : Bolsonaro assiste o momento que é anunciado como novo presidente do Brasil - Продолжительность: 11:47 Felipe Vieira 558 854 просмотра.

Página que o deixa informado sobre esportes, bastidores da TV, Famosos, Política etc. Eleito por grande maioria da população, Bolsonaro priorizou a Rede Record em discurso de vitória Inveja é um dos pecados capitais, o mais inútil pra ser sincero, pois não lhe traz nada além de um sentimento

Acompanhe nossa cobertura sobre o coronavírus.
Últimas notícias, perguntas e respostas e como se cuidar.

O discurso anterior em cadeia nacional de rádio e televisão, que foi ao ar há uma semana, teve a participação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e foi considerado um “desastre” pelos principais auxiliares do governo. Na ocasião, Bolsonaro chamou a covid-19 de “gripezinha” e defendeu que as pessoas voltassem à “normalidade” em suas rotinas.

Embora nesta noite Bolsonaro tenha voltando a adotar o discurso de preservação dos empregos, dessa vez ele não defendeu o fim do isolamento social. Na avaliação de integrantes do governo, o presidente foi menos beligerante. A covid-19 já matou 201 pessoas no país e, nesta terça, registrou 42 morte em 24 horas. Já são 5.717 casos confirmados.

Dani Alves volta a criticar Bolsonaro: “Deveria cuidar em vez de mandá-los para a rua”

  Dani Alves volta a criticar Bolsonaro: “Deveria cuidar em vez de mandá-los para a rua” Daniel Alves, meio-campista do São Paulo, voltou a tecer críticas ao pronunciamento do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, a respeito da pandemia do novo coronavírus. Nesta quarta-feira, o atleta foi acusado de “não se colocar no lugar das pessoas mais humildes”. Diante disso, Daniel respondeu. “Então ele deveria cuidar de vocês nesse período difícil em […]

O presidente Jair Bolsonaro foi aconselhado por assessores da ala militar a baixar o tom durante discurso na TV nesta terça-feira (31), embora Na avaliação de bastidor , auxiliares presidenciais compararam ao blog o pronunciamento de hoje com o da semana passada, feito com a ajuda do

Bastidores da Mídia. 101,171 likes · 34,945 talking about this. Nós somos campeões de fatos e mortais inimigos da especulação, da mentira Não deixe o bolsonaro manipular nossas pautas! Acontece quem com a situação atual perdemos mais tempo dando audiência para quem

Nesta tarde, durante a reunião ministerial no Palácio do Planalto, Bolsonaro ouviu seus ministros saírem em defesa de Mandetta, com quem vinha travando uma disputa particular e sistematicamente contrariando orientações do próprio Ministério da Saúde.

O presidente aproveitou o encontro e submeteu um rascunho do pronunciamento a alguns auxiliares. Além dos ministros Walter Souza Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), que tomaram à frente nos últimos dias na condução da crise, foram consultados os ministros Fernando de Azevedo e Silva (Defesa), Jorge Oliveira (Secetaria-Geral), Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e até Ricardo Salles (Meio Ambiente). O secretário de Assuntos Estratégicos (SAE), o almirante Flávio Rocha, também foi consultado.

De acordo com relatos feitos ao Estado, o presidente aceitou as sugestões em pontos que geraram desentendimento no próprio governo, como o isolamento vertical, no qual as medidas restritivas são aplicadas apenas a idosos e pessoas com doenças. Bolsonaro, por fim, se convenceu que deveria fazer a mudança no seu discurso.

Prefeitos cobram ‘comando sério’ no País e recomendam manter isolamento

  Prefeitos cobram ‘comando sério’ no País e recomendam manter isolamento Para confederação nacional dos municípios, pronunciamento de Bolsonaro trouxe ‘insegurança’ e ‘intranquilidade’ à populaçãoBRASÍLIA – Além das críticas de governadores ao discurso em que o presidente Jair Bolsonaro defendeu o fim do isolamento social como estratégia de contenção do novo coronavírus, prefeitos também se manifestaram de forma contrária à postura do chefe do Executivo.

Texto e discurso Ao nos depararmos com tais elementos, sentimo-nos questionados se realmente existem diferenças que os distinguem, ou se eles Tal completude se aplica ao fato de a mensagem produzida cumprir a finalidade enunciativa que o emissor se dispôs ao estar fazendo parte de uma

Bolsonaro , segundo o Estado apurou, reclama de estar desassistido juridicamente. Apesar de Bolsonaro defender um isolamento vertical, somente para idosos e pessoas com doenças, Estados e municípios seguem adotando a quarentena como medida para controlar o avanço da covid-19.

Um auxiliar que acompanhou a gravação observou que Bolsonaro estava mais tranquilo que o discurso anterior, feito na véspera a reunião virtual com os governadores do Sudeste, que o o colocou cara a cara com dois de seus principais adversários políticos, João Doria (PSDB), chefe do Executivo estadual de São Paulo, e Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro.

A mudança no tom no mesmo dia em que Carlos ganhou uma sala no terceiro andar no Planalto foi considerado uma vitória para os auxiliares da ala mais moderada. Apesar disso, este grupo receia que a virulência nas redes seguirá sob o comando de Carlos, considerado o mais radical dos filhos do presidente. O vereador é o responsável pelo chamado “gabinete do ódio”, que controla os perfis do presidente na internet, e tem estado presente em reuniões sobre a covid-19.

O discurso também foi apontado como um resultado imediato de uma mudança na estratégia de comunicação do governo, comandada pela Casa Civil. Como o Estado antecipou, um comunicado interno determinou que toda e qualquer divulgação saia do Palácio do Planalto. Desde esta segunda, até mesmo as coletivas diárias do Ministério da Saúde, com dados diários sobre a pandemia no Brasil, também passaram a ser realizadas na sede do governo.

O objetivo da mudança é coordenar os esforços para que a população não tivesse a impressão que havia dois governos: o do presidente Bolsonaro e outro do ministro da Saúde. O protagonismo de Mandetta é um incômodo, mas é consenso no governo que não é o momento de se cogitar a afastar o ministro que conquistou a credibilidade da população.

Logo após o pronunciamento, Mandetta usou o Twitter para acenar com uma bandeira branca na guerra que trava com o presidente. “Ações integradas, união e patriotismo! Somos uma nação vencedora! Juntos venceremos o coronavírus!”, escreveu.

___________________

Bastidores: ordem no Ministério da Saúde é ignorar falas de Bolsonaro .
Bastidores: ordem no Ministério da Saúde é ignorar falas de BolsonaroApós dias contrariando publicamente as orientações do ministro sobre a melhor forma de evitar a propagação do vírus, o presidente disse ontem que falta “humildade” ao ministro e, embora tenha afirmado que não pretende dispensá-lo “no meio da guerra”, ressaltou que ninguém é “indemissível” em seu governo. O protagonismo do auxiliar diante da crise envolvendo a pandemia do coronavírus já vinha incomodando o presidente há algum tempo, como revelou o Estado em 17 de março.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 7
Isto é interessante!