Política Marcos Pontes é avisado por mais próximos que Bolsonaro pretende demiti-lo

03:22  16 maio  2020
03:22  16 maio  2020 Fonte:   correiobraziliense.com.br

Debate sobre impeachment não deve estar na pauta hoje e, se Deus quiser, na dos próximos anos, diz Maia

  Debate sobre impeachment não deve estar na pauta hoje e, se Deus quiser, na dos próximos anos, diz Maia Debate sobre impeachment não deve estar na pauta hoje e, se Deus quiser, na dos próximos anos, diz Maia"Acho que esse assunto não deve estar na ordem do dia hoje, não deve estar na pauta de hoje e, se Deus quiser, não deve estar na pauta dos próximos anos", disse Maia em entrevista à GloboNews.

Marcos Cesar Pontes (Bauru, 11 de março de 1963) é um tenente-coronel da Força Aérea Brasileira (FAB), atualmente na reserva, engenheiro, astronauta e político brasileiro filiado ao Partido Social Liberal (PSL).

A investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o posto de superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro ser objeto de negociações O ex-ministro da Justiça Sergio Moro disse que na reunião ministerial do dia 22 de abril, o presidente ameaçou demitir o chefe da superintendência

  Marcos Pontes é avisado por mais próximos que Bolsonaro pretende demiti-lo © Ed Alves/CB/D.A Press
O ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, foi informado, por pessoas próximas e ligadas ao presidente Jair Bolsonaro, que ele pode ser demitido nos próximos dias. O chefe do Executivo pretende colocar no cargo um nome ligado a parlamentares do centrão. No momento, Bolsonaro cogita entregar o ministério para o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab.

Ex-ministro do governo Temer, Kassab está afastado, há 500 dias, do  cargo de secretário-chefe da Casa Civil do governo de João Doria (PSDB) em São Paulo.  Ele foi alvo de uma operação da Polícia Federal, acusado de receber R$ 58 milhões em propina da JBS entre 2010 e 2016.  Desde o ano passado, ele está afastado da gestão Dória por conta de um pedido de licença não remunerada.

Saiba quem é o general Eduardo Pazuello, que assume interinamente a Saúde

  Saiba quem é o general Eduardo Pazuello, que assume interinamente a Saúde Saiba quem é o general Eduardo Pazuello, que assume interinamente a SaúdeO general Eduardo Pazuello chegou ao Ministério da Saúde para ser o número 2 da pasta na mesma época que Teich. No entanto, o militar não foi escolha do agora ex-ministro. Foi colocado lá por Bolsonaro.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores calcularam a velocidade do relaxamento em cada estado. O outro grupo está muito decepcionado com a conduta de Bolsonaro e começando a retirar o apoio a ele, por considerá-lo "irresponsável", diz Solano.

E ponto final. A AGU argumenta que Bolsonaro se referiu durante à reunião à sua segurança pessoal dele e de familiares, que são responsabilidade do Gabinete de "Todos eles discorrem sobre os assuntos mais diversos, inclusive, sobre políticas públicas em cogitação, seja como for , assuntos

A investigação é um entrave para a nomeação dele ao ministério, em razão dos prejuízos que traria para a imagem do presidente e seu governo. A alternativa, estudada pelo Executivo, é colocar um indicado de Kassab na pasta de Marcos Pontes. O astronauta, primeiro brasileiro a ir ao espaço, decepcionou a comunidade científica e de tecnologia ao não ter posições firmes em meio a perda de verba para a comunidade científica e universidades.

Ele também não se posicionou contra demissões em seu ministério, como  Ricardo Galvão, ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Pontes, que tem trajetória acadêmica, científica e foi militar da Força Aérea Brasileira (FAB) tem ficado apagado no governo e não ganhou apoio popular como Damares Alves, dos Direitos Humanos e Henrique Mandetta, que ocupou o Ministério da Saúde.

Na cúpula do Ministério da Ciência e Tecnologia a demissão de Pontes é dada como certa e a equipe dele já está avisada. O governo vê como a pasta mais fácil de trocar, sem gerar novos capítulos em uma crise que afeta a política nacional.

Para Bolsonaro, divulgação completa do vídeo de reunião ministerial seria "constrangimento" .
Para Bolsonaro, divulgação completa do vídeo de reunião ministerial seria "constrangimento"A expectativa é que o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decida até a sexta-feira se divulga, na íntegra ou parcialmente, a gravação da reunião na qual, segundo o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, Bolsonaro cobra-lhe troca na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro sob a ameaça de demiti-lo.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 9
Isto é interessante!