Política Bolsonaro diz que STF não deve liberar trecho da reunião sobre política internacional

03:51  20 maio  2020
03:51  20 maio  2020 Fonte:   estadao.com.br

Moro chega à sede da PF para assistir a vídeo de reunião com Bolsonaro

  Moro chega à sede da PF para assistir a vídeo de reunião com Bolsonaro Moro chega à sede da PF para assistir a vídeo de reunião com BolsonaroNo local, ele irá assistir ao vídeo da reunião entre ministros e o presidente Jair Bolsonaro na qual, segundo o ex-juiz federal, o chefe do Executivo teria exigido mudanças na chefia da PF e ameaçado demitir o ex-ministro. A gravação foi apontada por Moro com uma das provas da acusação que fez contra Bolsonaro de interferência política na corporação.

No encontro, Bolsonaro disse : “Não vou esperar f. minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não Indicado ao cargo por Bolsonaro , o procurador-geral da República, a quem cabe Além dos depoimentos, o inquérito reúne mensagens de WhatsApp e o vídeo da reunião ministerial.

Federal ( STF ), a decisão de divulgar ou não trechos da reunião ministerial em que, segundo o Nesses trechos , Bolsonaro se queixou de forças de segurança federais e disse que não esperaria A entrega do vídeo ao STF ocorreu no âmbito de um inquérito que apura a conduta de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, na tarde deste sábado, 16 © Gabriela Biló/Estadão O presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, na tarde deste sábado, 16

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que um trecho da reunião ministerial do dia 22 de abril em que ele e seus ministros discutiram política internacional não deveria ser liberada ao público pelo Supremo Tribunal Federal. O vídeo é parte do inquérito derivado da denúncia do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro.

"O STF não deveria liberar o trecho da reunião sobre política internacional", defendeu Bolsonaro em entrevista ao blogueiro Magno Martins, transmitida nas redes sociais e pela Rede Nordeste de Rádio. Ele disse temer uma reação internacional a falas suas e de ministros que possam ter ocorrido durante a reunião.

Bolsonaro diz que pode divulgar trecho de vídeo de reunião citada por Moro

  Bolsonaro diz que pode divulgar trecho de vídeo de reunião citada por Moro Bolsonaro diz que pode divulgar trecho de vídeo de reunião citada por MoroPerguntado por jornalistas se poderia divulgar o vídeo, Bolsonaro disse que iria levar a “sugestão” ao advogado-geral da União, José Levi, de tornar pública parte da gravação que registrou a reunião.

Ministro deve tomar uma decisão, até a próxima sexta-feira, sobre o levantamento parcial ou total do sigilo da gravação.

O presidente Jair Bolsonaro disparou do próprio celular, pelo WhatsApp, um vídeo com uma convocação para Dia 15.3 vamos mostrar a força da família brasileira", diz um trecho da legenda do vídeo. Questionada sobre o vídeo, a assessoria do Palácio do Planalto se limitou a dizer que "não

Na entrevista, o presidente disse lamentar que "o final da carreira de Moro seja desta forma", citando a entrega de mensagens entre o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro e a deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP). Segundo Bolsonaro, Moro saiu da entrevista coletiva na qual anunciou sua saída do governo e logo na sequência passou as mensagens trocadas com a deputada para "o Bonner", referência ao âncora do Jornal Nacional, William Bonner.

Na entrevista, Bolsonaro disse que o novo diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, "tem carta branca para trabalhar" e negou que tenha intenção de interferir a PF, conforme acusou Moro.

Bolsonaro ainda comentou a entrevista dada pelo empresário Paulo Marinho, seu ex-aliado e suplente do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na qual Marinho disse que o filho mais velho do presidente soube de antemão que uma operação da PF implicaria funcionários dele, então deputado estadual no Rio. A informação teria sido passada à família Bolsonaro por um delgado da PF simpatizante do projeto político da família, segundo o empresário. "Vai ter de provar quem foi o delegado que vazou", disse o presidente.

Defesa de Moro diz que transcrição de vídeo omite trechos relevantes

  Defesa de Moro diz que transcrição de vídeo omite trechos relevantes Defesa de Moro diz que transcrição de vídeo omite trechos relevantesO defensor pontuou que a transcrição omite trechos e contextos relevantes "para a adequada compreensão do que ocorreu na reunião". "Inclusive, na parte da 'segurança do RJ', do trecho imediatamente precedente", ressaltou. Ele se refere a um dos trechos que está na petição enviada pela AGU ao Supremo Tribunal Federal (STF) no qual o presidente fala em "trocar gente da segurança" do Rio de Janeiro.

Bolsonaro diz que vai à TV fazer pronunciamento contra isolamento. STF manda Justiça comunicar Bolsonaro de ação sobre impeachment. Verba de combate à pandemia. Portarias e decreto contrariam versão de Bolsonaro para reunião ministerial.

Bolsonaro , que nega as acusações de Moro, disse que a fita “não é pra ser divulgada”. “O ministro Celso de Mello, do STF , irá examinar pessoalmente os registros audiovisuais da reunião ocorrida no Palácio do O ministro Celso de Mello já tem uma visão geral do teor da reunião , a partir do relato

Cloroquina e Ministério da Saúde

Bolsonaro afirmou que o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, irá assinar nesta quarta, 20, o novo protocolo da pasta a respeito do uso da cloroquina no combate ao coronavírus. Segundo Bolsonaro, o protocolo irá recomendar o uso do medicamento a partir dos primeiros sintomas. Ele afirmou que não estuda nomear um novo ministro da Saúde agora. "Por enquanto, deixa lá o general Pazuello. É um tremendo de um gestor", afirmou Bolsonaro.Bolsonaro afirmou também que mantém laços de amizade com o ex-ministro da Saúde, Nelson Teich. "Gosto dele (Teich), estou quase apaixonado por ele", afirmou. Segundo o presidente, "ele (Teich) tem ligado para o Pazuello e dado dicas sem aparecer".

Intervenção militar

Bolsonaro também falou sobre atos promovidos por seus apoiadores. Ele diz ter visto “amadurecimento” entre seus apoiadores ao deixarem de pedir a reedição do AI-5 e disse não concordar com os pedidos de intervenção militar. “Meu sentimento é que o pessoal está amadurecendo cada vez mais, (no último domingo) não teve nenhuma faixa que atentasse contra a democracia”, afirmou o presidente.

O presidente também defendeu o golpe de 1964 e disse nunca ter ouvido falar em “ditadura com rodízio de ditadores”. “Tivemos cinco generais eleitos, até o Paulo Maluf concorreu”, afirmou.

Segundo Bolsonaro, “grande parte do jornalistas são de esquerda e não conseguem entender a história”. “Nunca buscamos o controle social da mídia como houve no passado. Ele (Lula) tentou várias vezes, inclusive agora a gente ouve gente peso pesado do PT falando que erraram em não controlar as mídias lá atrás”, afirmou o presidente.

____________________

Senadores afirmam que mensagem de Bolsonaro a Moro é fake news .
Senadores afirmam que mensagem de Bolsonaro a Moro é fake newsAs mensagens integram o inquérito presidido pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Celso de Mello que investiga se Bolsonaro interferiu na Polícia Federal para ter acesso a investigações –conforme acusou Moro.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 41
Isto é interessante!