Política: Bolsonaro demite Paulo Fona, secretário de Imprensa da Presidência - PressFrom - Brasil

PolíticaBolsonaro demite Paulo Fona, secretário de Imprensa da Presidência

06:25  14 agosto  2019
06:25  14 agosto  2019 Fonte:   poder360.com.br

Secretário da Pesca pede desculpa após multa

Secretário da Pesca pede desculpa após multa Secretário da Pesca pede desculpa após multa

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro decidiu exonerar o atual presidente da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), Luiz Antonio "Haverá substituição e quem assumirá será Alexandre Henrique Graziani", disse o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros.

Mais tarde, o porta-voz da Presidência , Otávio do Rêgo Barros também divulgou nota, na qual afirma que o Santos Cruz é o terceiro ministro demitido no governo Bolsonaro em menos de seis meses. Carta à imprensa . Na oportunidade em que deixo a função de ministro da Secretaria de Governo (Segov) Secretário da Receita se disse 'surpreso' com suspeitas levantadas contra o Fisco.

Bolsonaro demite Paulo Fona, secretário de Imprensa da Presidência © Flickr Paulo Fona (esquerda) já tinha chefiado a comunicação do GDF na gestão de Rodrigo Rollemberg (centro) antes de assumiu o cargo no Planalto

O presidente Jair Bolsonaro exonerou nesta 3ª feira (13.ago.2019) o secretário de Imprensa da Presidência da República, Paulo Fona. O jornalista foi convidado para o cargo em julho e ficou apenas 6 dias no Planalto.

Em nota (eis a íntegra), Fona se disse surpreso com a demissão:

Novo chefe de órgão do MEC já foi alvo de investigação do TCU

Novo chefe de órgão do MEC já foi alvo de investigação do TCU Novo chefe de órgão do MEC já foi alvo de investigação do TCU

O porta-voz da Presidência , general Otávio Rêgo Barros, confirmou que Santos Cruz será Tradicionalmente, o posto era ocupado pelo Secretário de Comunicação do Planalto. Outro desgaste ocorreu em torno das disputas dentro do governo sobre regulamentação de veículos de imprensa .

O assessor da Presidência Tiago Pereira Gonçalves disse a repórteres que aguardavam o presidente no hotel que o cancelamento da entrevista coletiva se deu devido à “abordagem antiprofissional da imprensa ”. Depois de a informação ser publicada, a comitiva mudou a versão duas vezes: primeiro

“O desafio era imenso, sempre soube, mas esperava maior profissionalismo, o que não encontrei. Em todos os governos que passei, de diferentes partidos –MDB, PSDB e PSB–, sempre trabalhei com o objetivo de tornar a comunicação mais ágil, eficiente e transparente, e leal às propostas da gestão”, afirmou o jornalista.

Antes de comandar –brevemente– a comunicação no Palácio do Planalto, Fona chefiou a área de imprensa do GDF (Governo do Distrito Federal) em duas gestões, de Joaquim Roriz e de Rodrigo Rollemberg. Antes, também foi porta-voz do governo do Rio Grande do Sul na gestão de Yeda Crusius.

“Construí minha carreira profissional com meus próprios méritos e defeitos. Obrigado a todos os jornalistas que me acolheram de maneira calorosa e esperançosa de que o relacionamento mudaria”, disse.

Em evento, congressistas defendem aprovação de lei que regulamenta lobby

Em evento, congressistas defendem aprovação de lei que regulamenta lobby Em evento, congressistas defendem aprovação de lei que regulamenta lobby

Dentre todos os candidatos à Presidência da República, um dos que mais “mexem com emoções” (cargo dividido com Lula) é Jair Bolsonaro . Versão 1: Quem foi expulso do exército por arquitetar um atentado terrorista contra seus próprios companheiros de farda foi o Bolsolixo e não a Dilma.

De perfil liberal, Paulo Guedes defende a menor participação possível do Estado na economia. Segundo o Ministério da Intregração Nacional, do qual é o atual secretário -executivo, Canuto também já trabalhou na Secretaria de Aviação Civil, na Secretaria-Geral da Presidência da República e na

Secretaria relâmpago

Paulo Fona substituiu o ex-secretário de Imprensa Fernando Diniz. O jornalista ficou somente 2 meses na comunicação do governo e pediu demissão após desentendimentos com Fábio Wajngarten, chefe da Secom (Secretaria de Comunicação).

__________________________________

Vídeo: Bolsonaro anda em jet ski da Marinha em Brasília (Estadão)

A cada oito dias, pelo menos um funcionário deixa o governo Bolsonaro.
A cada oito dias, pelo menos um funcionário deixa o governo Bolsonaro

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 3
Isto é interessante!