Política: Bastidores: Guedes sinalizou em reunião sobre reforma que, se caísse nova CPMF, Cintra cairia também - PressFrom - Brasil

PolíticaBastidores: Guedes sinalizou em reunião sobre reforma que, se caísse nova CPMF, Cintra cairia também

00:00  12 setembro  2019
00:00  12 setembro  2019 Fonte:   estadao.com.br

Após demissão, Cintra volta a defender CPMF no Twitter

Após demissão, Cintra volta a defender CPMF no Twitter Na rede social, Cintra respondeu a uma publicação que afirmava que apenas cinco países no mundo possuem impostos como a CPMF : Venezuela, Argentina, República Dominicana, Peru e Sri Lanka. “A Hungria teve autorização do BCE e introduziu o imposto em 2014. Na Argentina, é usado há 20 anos com alíquota de 1,2% com excelentes resultados”, disse Cintra na rede social, que complementou o comentário afirmando que países com tradição tributária consolidada não precisam de CPMF.

Marcos Cintra : o secretário da Receita Federal nega que sua proposta seja recriar imposto sobre transações financeiras extinto em 2007 “Enquanto a CPMF foi feita para extrair mais recursos da sociedade, estamos propondo um imposto que não elevará a carga tributária”, disse Cintra .

“A possível ( reforma ) que está se estudando realmente é o 5 em 1 federal. Quer dizer IPI, PIS, Cofins Histórico defensor do imposto único, o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra , há A CPMF foi criada em 1996 como um imposto transitório, voltado para o financiamento à saúde.

Bastidores: Guedes sinalizou em reunião sobre reforma que, se caísse nova CPMF, Cintra cairia também © Rovena Rosa/Agência Brasil - 15/8/2019 Guedes foi questionado sobre se a equipe econômica tinha um ‘plano B’ para bancar a desejada desoneração da folha de pagamento das empresas

BRASÍLIA - Com a proposta de criação de uma contribuição sobre pagamentos (CP) nos moldes da extinta CPMF sob tiroteio no Congresso Nacional, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já vinha dando sinais de que o agora demitido secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, balançava no cargo.

Em reunião sobre a reforma tributária na última segunda-feira, 9, Guedes foi questionado sobre se a equipe econômica tinha um ‘plano B’ para bancar a desejada desoneração da folha de pagamento das empresas, caso a nova CPMF não fosse aprovada pelos parlamentares.

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes

Bolsonaro: presidente admite que conversará com Guedes sobre imposto nos moldes da CPMF (Marcos Pelos cálculos da área econômica, a alíquota cairia para algo entre 11% e 12%. Até agora, a avaliação corrente era a de que a proposta de uma nova CPMF fosse patrocinada apenas

E afirmou que as ofensas de Bolsonaro e Guedes a Brigitte Macron foram desnecessárias. REUNIÃO DE PAUTA: Uma coisa é uma coisa. “Eu tinha de reagir”, diz Macron em vídeo nos bastidores do G7. A Semana em 5 Pontos: Bolsonaro aposta no Senado para emplacar Aras e Dudu.

Segundo relato de fontes do governo ao Estadão/Broadcast, o ministro respondeu apenas que “se cai o ITF (como o ministro chamou a CP), se cai tudo, cai o Cintra também”.

A fala ocorreu um dia antes de o secretário especial adjunto da Receita, Marcelo Silva, antecipar pontos ainda não divulgados da proposta em discussão dentro do governo. As declarações foram feitas na terça-feira em evento realizado pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita, em Brasília, e causaram desconforto na equipe econômica e no Congresso - onde há uma disputa pelo protagonismo em torno das propostas de reforma que tramitam no Senado e na Câmara.

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma, afirma Guedes

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma, afirma Guedes 'Estávamos simulando um imposto de transação financeira, só que o presidente sempre foi contra esse imposto e pediu pra não colocar', disse o ministro da Economia

Durante a reunião desta manhã, secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal O prazo para apresentação de emendas à reforma tributária que tramita na Câmara termina na próxima quarta-feira (18). Reforma tributária. Proposta de nova CPMF enfrentará dificuldades na Câmara, diz Maia.

Guedes afirmou que as alíquotas podem ser de 0,2% a 1% sobre cada transação e que o imposto pode arrecadar até R$ 150 bilhões por ano. Ainda sem apresentar formalmente um projeto, o governo Jair Bolsonaro (PSL) segue dando detalhes sobre como deve ser sua proposta de reforma tributária.

Após a fala de Silva, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi na última terça-feira, 10, à noite à sede do Ministério da Economia para se reunir com Guedes. Na saída, cobrou do governo o envio de uma proposta própria de reforma tributária.

Ao confirmar a demissão de Cintra, o Ministério da Economia disse, em nota, que a proposta ainda não está finalizada e que só será divulgada quando tiver o aval de Guedes e do presidente Jair Bolsonaro.

Articulador

A interlocutores, Guedes também já havia demonstrado ceticismo com a capacidade de Cintra ser o articulador político da reforma após uma série de atritos com o Congresso Nacional. Além dos embates por conta da nova CPMF, que enfrenta forte resistência entre os parlamentares, Cintra já havia se desgastado pessoalmente com Maia, em março deste ano, ao rebater na rede social Twitter a declaração do presidente da Câmara de que o governo era um “deserto de ideias”.

O enterro da nova CPMF

O enterro da nova CPMF Ao demitir Marcos Cintra da direção da Receita Federal, o governo sinaliza que abandonou a ideia de recriar a famigerada CPMF, mas confirma que vai reformular o regime tributário “para corrigir distorções”

Ministro disse que o Congresso vai ter de decidir se aceita novo imposto sobre transações “Vamos reabrir o prazo para emendas e vamos reiniciar o debate sobre reforma tributária quando governo Ele disse ainda que fará uma reunião com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e

Esclarece ainda que não há um projeto de reforma tributária finalizado. Marcos Cintra é um defensor histórico do chamado imposto único, que incidiria sobre movimentações financeiras, no Secretário da Receita é exonerado após proposta de ' nova CPMF '. Marcos Cintra deixa o cargo um

O secretário da Receita também estava no centro de embates com o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal de Contas da União (TCU). O Fisco não entregou até esta quarta-feira, 11, as informações solicitadas pelo ministro do TCU Bruno Dantas com os nomes dos servidores que fiscalizaram ou acessaram dados fiscais de autoridades das cúpulas do Judiciário, do Executivo e do Legislativo, além de seus cônjuges e dependentes, nos últimos cinco anos. O TCU também requereu uma lista das autoridades investigadas e os números dos processos autuados nesse período.

A determinação veio logo após o ministro do STF Alexandre de Moraes ordenar o afastamento de servidores da Receita e suspender todos os procedimentos investigatórios instaurados pelo órgão envolvendo 133 contribuintes por indícios de irregularidades. A apuração da Receita incluiu, conforme revelado pelo Estado, os nomes das mulheres dos ministros do STF Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

________________________________

Vídeo: Portadores de epilepsia doam parte do cérebro vivo (Reuters)

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes

O pedido de exoneração de Marcos Cintra foi confirmado pelo Ministério da Economia, que afirmou em nota que "ainda não há um projeto de reforma tributária finalizado." A proposta somente será divulgada depois do aval do ministro Paulo Guedes e do presidente da República, Jair Bolsonaro"

Reunião de Pauta. Ontem, o adjunto de Cintra na Receita, Marcelo de Sousa, participou de um evento do Sindifisco onde apresentou slides de parte da proposta de reforma tributária de Guedes , violando um acordo estabelecido na véspera para que nada vazasse até o anúncio oficial.

Carlos Bolsonaro diz que pediu licença para acompanhar o pai no hospital.
Carlos Bolsonaro diz que pediu licença para acompanhar o pai no hospital

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!