PolíticaBastidores: Guedes sinalizou em reunião sobre reforma que, se caísse nova CPMF, Cintra cairia também

00:00  12 setembro  2019
00:00  12 setembro  2019 Fonte:   estadao.com.br

Demissão de Marcos Cintra é “alívio” para parlamentares do PSL e Centrão. Por quê?

Demissão de Marcos Cintra é “alívio” para parlamentares do PSL e Centrão. Por quê? Demissão de Marcos Cintra é “alívio” para parlamentares do PSL e Centrão. Por quê?

Em reunião sobre a reforma tributária na última segunda-feira, 9, Guedes foi questionado sobre se a equipe econômica tinha um ‘plano B’ para bancar a desejada desoneração da folha de pagamento das empresas, caso a nova CPMF não fosse aprovada pelos parlamentares.

“A reforma é ainda mais importante agora, porque traz simplificação tributária, diminui o custo Ele cobrou, contudo, que o governo federal apresente a sua proposta de reforma tributária. Na semana passada, Guedes admitiu que a proposta está pronta para ser apresentada, mas indicou que só faria

Bastidores: Guedes sinalizou em reunião sobre reforma que, se caísse nova CPMF, Cintra cairia também © Rovena Rosa/Agência Brasil - 15/8/2019 Guedes foi questionado sobre se a equipe econômica tinha um ‘plano B’ para bancar a desejada desoneração da folha de pagamento das empresas

BRASÍLIA - Com a proposta de criação de uma contribuição sobre pagamentos (CP) nos moldes da extinta CPMF sob tiroteio no Congresso Nacional, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já vinha dando sinais de que o agora demitido secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, balançava no cargo.

Em reunião sobre a reforma tributária na última segunda-feira, 9, Guedes foi questionado sobre se a equipe econômica tinha um ‘plano B’ para bancar a desejada desoneração da folha de pagamento das empresas, caso a nova CPMF não fosse aprovada pelos parlamentares.

Após demissão, Bolsonaro enterra de vez a CPMF

Após demissão, Bolsonaro enterra de vez a CPMF Após demissão, Bolsonaro enterra de vez a CPMF

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, garantiu que a criação de uma nova CPMF está fora do radar do governo. Nesta terça-feira (17/9), ele afirmou que a reforma tributária da equipe econômica pode ser enviada ao Congresso depois da viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos

Segundo Guedes , o ex-secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra , exonerado esta semana, já havia pedido para deixar o cargo "inúmeras vezes" por achar que estava atrapalhando o governo. "Eu dizia: se você tiver que cair um dia que caia junto com o imposto", afirmou Guedes .

Veja mais no MSN Brasil:
  • PSL compara ataque a Bolsonaro ao 11 de setembro (Poder360)
  • Mourão diz que fica até quinta como presidente (Correio Braziliense)
  • Carlos é suspeito de empregar 'fantasmas' (Estadão)
  • Procurador do 'miserê' de R$ 24 mil pede licença (Correio Braziliense)

Segundo relato de fontes do governo ao Estadão/Broadcast, o ministro respondeu apenas que “se cai o ITF (como o ministro chamou a CP), se cai tudo, cai o Cintra também”.

A fala ocorreu um dia antes de o secretário especial adjunto da Receita, Marcelo Silva, antecipar pontos ainda não divulgados da proposta em discussão dentro do governo. As declarações foram feitas na terça-feira em evento realizado pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita, em Brasília, e causaram desconforto na equipe econômica e no Congresso - onde há uma disputa pelo protagonismo em torno das propostas de reforma que tramitam no Senado e na Câmara.

Sob Bolsonaro, o risco de perseguição à Receita e desmonte de órgãos anticorrupção

Sob Bolsonaro, o risco de perseguição à Receita e desmonte de órgãos anticorrupção Sob Bolsonaro, o risco de perseguição à Receita e desmonte de órgãos anticorrupção

Vários foram os filósofos que se referiram à arte como imitação. Alguns desprezavam-na por isso mesmo, como acontecia com o conhecido filósofo grego Platão que, ao considerar que as obras de arte imitavam os objectos naturais, via essas obras como imagens imperfeitas dos seus originais.

Reforma tributária: estados querem repasse maior de imposto único. Em reunião nesta terça no Cintra deixou claro, no entanto, que não há possibilidade de uma reforma que preveja queda de arrecadação. Ele sinalizou , nesse sentido, que pode voltar a discutir a tributação de dividendos

Após a fala de Silva, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi na última terça-feira, 10, à noite à sede do Ministério da Economia para se reunir com Guedes. Na saída, cobrou do governo o envio de uma proposta própria de reforma tributária.

Ao confirmar a demissão de Cintra, o Ministério da Economia disse, em nota, que a proposta ainda não está finalizada e que só será divulgada quando tiver o aval de Guedes e do presidente Jair Bolsonaro.

Veja mais no MSN Brasil:
  • Maia: nova CPMF tem 'obstáculo muito grande' (Estadão)
  • CPMF: o que Bolsonaro e ministros já falaram dela (VEJA.com)
  • Greve dos Correios: adesão em São Paulo é de 70% (VEJA.com)
  • 'Nova CPMF' contraria fala de Bolsonaro na eleição (Exame.com)

Articulador

A interlocutores, Guedes também já havia demonstrado ceticismo com a capacidade de Cintra ser o articulador político da reforma após uma série de atritos com o Congresso Nacional. Além dos embates por conta da nova CPMF, que enfrenta forte resistência entre os parlamentares, Cintra já havia se desgastado pessoalmente com Maia, em março deste ano, ao rebater na rede social Twitter a declaração do presidente da Câmara de que o governo era um “deserto de ideias”.

Fatos da semana: Cintra deixa Receita, tweet de Carlos e apelo de Dodge no STF

Fatos da semana: Cintra deixa Receita, tweet de Carlos e apelo de Dodge no STF Saiba os principais fatos da semana

Após quase um ano de declarações desencontradas, governo ainda não concluiu projeto para mudar sistema tributário. Falta de alternativa para substituir a '' nova CPMF '', rejeitada por Bolsonaro, é um dos motivos da demora.

reforma escolar é necessária, também do ponto de vista da formação do professorado, não apenas Assim como a reforma escolar não é possível sem mudança da formação docente, esta é LOIOLA, Rita. Formação continuada. Revista nova escola. São Paulo: Editora Abril. nº: 222.p.89, maio 2009.

O secretário da Receita também estava no centro de embates com o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal de Contas da União (TCU). O Fisco não entregou até esta quarta-feira, 11, as informações solicitadas pelo ministro do TCU Bruno Dantas com os nomes dos servidores que fiscalizaram ou acessaram dados fiscais de autoridades das cúpulas do Judiciário, do Executivo e do Legislativo, além de seus cônjuges e dependentes, nos últimos cinco anos. O TCU também requereu uma lista das autoridades investigadas e os números dos processos autuados nesse período.

A determinação veio logo após o ministro do STF Alexandre de Moraes ordenar o afastamento de servidores da Receita e suspender todos os procedimentos investigatórios instaurados pelo órgão envolvendo 133 contribuintes por indícios de irregularidades. A apuração da Receita incluiu, conforme revelado pelo Estado, os nomes das mulheres dos ministros do STF Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

________________________________

Vídeo: Portadores de epilepsia doam parte do cérebro vivo (Reuters)

‘Reforma tributária tem altíssimo risco de dar errado’, afirma Salto

‘Reforma tributária tem altíssimo risco de dar errado’, afirma Salto Para economista, falta liderança do Executivo em relação à proposta para redesenhar sistema de impostos do País

O novo secretário substituirá Marcos Cintra , que caiu na semana A ideia do ministro da Economia para a nova equipe da Receita Federal, sob comando de José Tostes, é que seja buscado 1 meio de conciliar a proposta de reforma do governo com as que já estão em andamento no Congresso.

A nova matriz econômica foi, portanto, um conjunto de medidas para beneficiar o setor industrial, visando a Um ano após a aprovação da reforma trabalhista, porém, verificou-se que a Também caiu a palavra "partido" em alguns casos de renomeação.[209] No caso do PT, alguns candidatos

Receba notícias pelo
Messenger
Leia notícias pelo celular com
nosso app
Assine nossa
newsletter
Leia Mais

Para compensar desoneração da folha, governo pode desistir de alívio no IR.
Para compensar desoneração da folha, governo pode desistir de alívio no IR

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!