Política: Senado deveria reagir aos abusos do STF, diz chefe da Lava Jato no Rio - - PressFrom - Brasil

Política Senado deveria reagir aos abusos do STF, diz chefe da Lava Jato no Rio

15:10  18 novembro  2019
15:10  18 novembro  2019 Fonte:   poder360.com.br

Defesa de Lula entra com pedido de liberdade após decisão do STF, diz Gleisi

  Defesa de Lula entra com pedido de liberdade após decisão do STF, diz Gleisi Defesa de Lula entra com pedido de liberdade após decisão do STF, diz Gleisi"A defesa já pediu a soltura imediata de Lula e estamos entrando para conversar com ele. Esperamos que ainda hoje Lula esteja na vigília #LulaLivre, abraçando e agradecendo todos que durante estes 580 dias ficaram ao seu lado, no maior exemplo de solidariedade e resistência", disse a deputada em publicação no Twitter. O ex-presidente está preso em Curitiba desde abril no ano passado em decorrência de condenação no âmbito da operação Lava Jato.

Lava Jato no Rio de Janeiro, diz esperar que o Senado atue como um contrapeso ao que classifica como abusos do STF (Supremo Tribunal Federal). Mas deveria ensejar algum tipo de reação por parte do Legislativo, sim. O procurador Eduardo El Hage, coordenador da força-tarefa da Lava Jato

Senado deveria servir como freio para os abusos do STF , diz chefe da Lava Jato no Rio . Procurador Eduardo El Hage critica atuação de Bolsonaro no combate à corrupção e diz que saída de Moro afetou a operação. 18.nov.2019 às 2h00.

O procurador Eduardo El Hage atribui o enfraquecimento da Lava Jato a fatores políticos e abusos judiciais© Tomaz Silva/Agência Brasil O procurador Eduardo El Hage atribui o enfraquecimento da Lava Jato a fatores políticos e abusos judiciais

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, disse que o Senado deveria servir como freio para os “abusos” do STF (Supremo Tribunal Federal). O procurador classifica como excesso da Corte fatores que, de acordo com o ele, contribuem para o enfraquecimento Lava Jato.

“A gente vê que o Senado, que deveria servir como freio e contrapeso, não tem atuado para conter certos atos do tribunal. Se 1 dos Poderes abusa de seus limites, os outros Poderes têm o dever de atuar e servir como contenção. Pouco se vê o Senado, mesmo nesses casos em que transbordam totalmente da competência do Supremo, fazer alguma coisa. [A CPI] É o instrumento que o Poder Legislativo possui. Tem que ter 1 fato concreto”, disse.

Alcolumbre diz que Congresso está consciente da obrigação de realizar reformas

  Alcolumbre diz que Congresso está consciente da obrigação de realizar reformas Alcolumbre diz que Congresso está consciente da obrigação de realizar reformasEm rápida entrevista, Alcolumbre falou também que buscará um entendimento entre os parlamentares sobre o tema da prisão após condenação em segunda instância, que tem uma Proposta de Emenda à Constituição tramitando no Senado e outra na Câmara.

Infelizmente ainda tenho que dizer que é corajosa quando deveria ser simplesmente normal. Mostra o quanto o racismo estrutural ainda tem um longo caminho para ser desenraizado. Senado deveria servir como freio para os abusos do STF , diz chefe da Lava Jato no Rio .

Senado deveria servir como freio para os abusos do STF , diz chefe da Lava Jato no Rio . Procurador Eduardo El Hage critica atuação de Bolsonaro no combate à corrupção e diz que saída de Moro afetou a operação.

As declarações foram feitas em entrevista à Folha de São Paulo, publicada nesta 2ª feira (18.nov.2018).

Eis alguns trechos do que disse El Hage:

  • Interferência do Planalto – “[O Executivo] mexeu na configuração do Coaf. Ele sempre foi uma das principais armas de nossas investigações seguindo o modelo internacional. Houve também uma interferência na troca de superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, quando isso não é geralmente pauta de presidente da República”;
  • Sergio Moro – “Ele [Moro] acabou associando a imagem da operação com o governo Bolsonaro, que não tem nada a ver. Principalmente aqui no Rio, porque Moro nem sequer era juiz aqui. Não estou perto desse ambiente de Brasília. Mas esperava que ele [Moro] tivesse mais poder e força política para implementar as medidas que ele estava propondo”;
  • Vaza Jato – “Foi 1 ataque criminoso. Tem que se apurar quem financiou. É quase impossível garantir a autenticidade das mensagens. Além disso, tem se considerado as mensagens como a única forma de comunicação entre os procuradores, o que não é verdade”;
  • Lava Jato no Rio – “Nossa estrutura é pífia, apesar de termos feito a operação contra o ex-presidente [Michel] Temer, termos prendido 1 dos maiores doleiros do Brasil, Dario Messer, termos feitos os maiores acordos de colaboração premiada da história da operação. Temos 5 sistemas informatizados de doleiros que têm milhares de empresas offshores, milhares de transações. É impossível, com uma estrutura tão pequena, dar saída a essa quantidade enorme de informação”;
  • Sérgio Cabral (MDB-RJ) – “Somos contrários a uma colaboração premiada do ex-governador Sérgio Cabral. Ele teria muito pouco a acrescentar nesse momento. Não seria uma resposta que o Ministério Público Federal gostaria de dar à sociedade. Risco [de soltura] sempre há. Vivemos momentos de muita insegurança jurídica. Alguns preceitos que entendíamos como muito bem assentados no direito brasileiro estão sendo subvertidos de maneira muita abrupta.”

Lula volta a ser julgado pelo tribunal que permitiu sua prisão na Lava Jato .
Lula volta a ser julgado pelo tribunal que permitiu sua prisão na Lava JatoO ex-presidente foi condenado pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal do Paraná, a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele foi acusado de receber R$ 1 milhão em propinas das empreiteiras Odebrecht e OAS para reformas no sítio Santa Bárbara, frequentado pelo petista e a família, no interior de São Paulo.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 1
Isto é interessante!