Política ''Não há arrependimento'', diz deputado que arrancou cartaz sobre racismo

20:32  20 novembro  2019
20:32  20 novembro  2019 Fonte:   correiobraziliense.com.br

Frota diz que Bolsonaro desistiu de ‘príncipe’ para vice por ser gay

  Frota diz que Bolsonaro desistiu de ‘príncipe’ para vice por ser gay O presidente Jair Bolsonaro optou por trocar o deputado federal "príncipe" Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL) pelo general Hamilton Mourão (PRTB) para ser seu vice na campanha presidencial por ter visto fotos que, na visão dele, comprometiam o príncipe .© Reprodução/Youtube e Facebook Frota revela que Bolsonaro o mandou ‘calar a matraca’ sobre Queiroz Isso foi o que contou o deputado federal Alexandre Frota (PSDB) à Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo logo após o presidente demonstrar arrependimento por ter escolhido o general Hamilton Mourão (PRTB) para ser seu vice ao invés do príncipe.

O ato do deputado provocou reação imediata de deputados que acusaram o militar de racista. Tadeu se defende elogiando a exposição e negando qualquer tipo de preconceito. Por que o senhor arrancou o cartaz ? A exposição é maravilhosa, sobre racismo . Sou favorável à pauta.

O ato do deputado provocou reação imediata de deputados que acusaram o militar de racista. Por que o senhor arrancou o cartaz ? A exposição é maravilhosa, sobre racismo . Sou favorável à pauta. Mas, no meio de tanto cartaz bonito, você vê uma agressão como essa contra a Polícia Militar?

  ''Não há arrependimento'', diz deputado que arrancou cartaz sobre racismo © Ana Rayssa/CB/D.A Press

"Não há arrependimento. Quem foi atacada foi a Polícia Militar", afirma o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) que entrou no centro do debate político, nessa terça-feira (19/11), ao arrancar um cartaz em um exposição sobre o racismo na Câmara. 

Na imagem, um policial de arma na mão e um rapaz negro estendido no chão, com a camisa do Brasil e algemado. No cartaz, lia-se a frase "O genocídio da população negra". O ato do deputado provocou reação imediata de deputados que acusaram o militar de racista. Tadeu se defende elogiando a exposição e negando qualquer tipo de preconceito.

 

Por que o senhor arrancou o cartaz?

Deputado do PSL arranca cartaz sobre exposição contra o racismo na Câmara

  Deputado do PSL arranca cartaz sobre exposição contra o racismo na Câmara Deputado do PSL arranca cartaz sobre exposição contra o racismo na Câmara BRASÍLIA – Uma exposição que trata do racismono Brasil virou motivo de bate-boca na tarde desta terça-feira, 19, na Câmara dos Deputados. O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) arrancou da parede da exposição uma imagem em que aparecia um policial, de arma na mão, e um rapaz negro estendido no chão, com a camisa do Brasil e algemado. No cartaz, lia-se a frase “O genocídio da população negra”. O ato do deputado provocou reação imediata de deputados presentes na Casa.

'' Não há arrependimento '', diz deputado que arrancou cartaz sobre racismo

Nós somos defendidos pela polícia, inclusive quando há crime de racismo é à ela que recorremos! Algo me diz que você nunca teve que recorrer à polícia por crime de racismo .

A exposição é maravilhosa, sobre racismo. Sou favorável à pauta. Mas, no meio de tanto cartaz bonito, você vê uma agressão como essa contra a Polícia Militar? Isso é inaceitável.

 

O senhor se arrepende de seu ato?

Essa é uma casa de debate e, por ser a casa do debate, você precisa incentivar cada vez mais esse debate. Não me sinto arrependido. Fiz o meu papel eleito por quase 100 mil famílias de policiais do Estado de São Paulo. Só que, no momento em que venho para a Câmara dos Deputados, eu deixo de representar os policiais e passo a representar toda a sociedade. Eu não poderia admitir uma agressão daquela altura. Quem sabe que a forma não foi tão acertada, mas a medida foi correta. Não há arrependimento. Quem foi atacada foi a Polícia Militar. 

Maia critica deputado por arrancar placa de exposição na Câmara

  Maia critica deputado por arrancar placa de exposição na Câmara Deputado do PSL quebrou obra de arte. Parte de exposição da consciência negra“Não é porque nós divergimos da posição da outra pessoa que nós devemos agredi-la verbalmente e fisicamente ou retirar de forma violenta, de uma exposição, uma peça que foi autorizada pela presidência da Câmara”, afirmou Rodrigo Maia.

O ato do deputado do PSL provocou reação imediata de deputados que acusaram o militar de ser racista. Tadeu disse que “ não há arrependimento ”. “A exposição é maravilhosa, sobre racismo . Sou favorável à pauta. Mas, no meio de tanto cartaz bonito, você vê uma agressão como essa contra

Na outra ponta, deputados que tentam se desfiliar do PSL sem perder o mandato, para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro em sua ofensiva pela criação do Aliança pelo Brasil, minimizaram o impacto político da operação no Rio. "O discurso do Bolsonaro sempre foi que não teria político de estimação.

 

O senhor fala em contraponto, mas já havia um ofício da Frente de Segurança Pública pedindo a retirada do material. O senhor não acha que ultrapassou o limite?

Infelizmente, eu não sabia que havia o ofício. Se eu soubesse que havia um pedido formal de retirada, eu não teria feito isso. Meu estilo não é de usar esse tipo de atitude.

 

  ''Não há arrependimento'', diz deputado que arrancou cartaz sobre racismo © Lula Marques/Foto públicas  

 

O senhor está sendo acusado de ter quebrado o decoro parlamentar...

De jeito nenhum. Não ofendi um parlamentar. Não ofendi nenhuma pessoa. Simplesmente eu exerci o meu mandato. Mais do que nunca defender quem precisa ser defendido. E, aqui, estamos tratando de uma agressão e não de uma exposição. Estamos tratando de uma agressão a um determinado público. E isso não pode ser permitido

 

O senhor foi acusado de racismo por essa atitude...

Nesse momento as vítimas de racismo foram os polícias que foram acusados de serem os executores, homicidas. A mensagem é imprópria e não deveria estar dentro da Câmara dos Deputados.

 

A sua atitude hoje ocorre no dia em que está confirmado que a morte da menina Agatha Moreira, de oito anos, no Rio, foi causada por um tiro partido por um policial...

Pergunta ao policial se ele queria matar a menina. Quantas vítimas de bala perdida nós temos. O fato de ser hoje é apenas uma mera coincidência. Aquele projétil não tinha aquele endereço e, infelizmente, ele vitimou uma criança. Polícia não quer matar inocente.

___________________

Malcom, do Zenit, afirma não ter sofrido racismo na Rússia .
Revelado no Corinthians e hoje atuando no Zenit, da Rússia, ponta-direita afirma não ter sofrido racismo da torcida do seu Malcom, do Zenit, afirma não ter sofrido racismo na Rússia - Torcedores.com.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!