Política Sem clima político, governo deve recuar em PEC da reforma administrativa

23:55  11 fevereiro  2020
23:55  11 fevereiro  2020 Fonte:   estadao.com.br

Fernando Bezerra diz que PEC que muda escolha para o STF será discutida por líderes no Senado

  Fernando Bezerra diz que PEC que muda escolha para o STF será discutida por líderes no Senado Fernando Bezerra diz que PEC que muda escolha para o STF será discutida por líderes no SenadoA Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi colocada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), entre as 10 pautas prioritárias para o Congresso Nacional em 2020. A lista foi distribuída pela assessoria de Alcolumbre mais cedo.

A maior resistência à reforma administrativa deve vir da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público, que reúne 235 A impressão que tenho é que, como o governo conseguiu aprovar a reforma da Previdência em tempo razoavelmente curto e sem grandes perdas, os burocratas estão

O governo Jair Bolsonaro (sem partido) recuou e não enviará proposta de reforma tributária ao Congresso. Maia espera aprovar reforma administrativa no primeiro semestre. Ele é um dos articuladores da reforma e relator da PEC 45, que discute o tema na Câmara.

Jair Bolsonaro chegou a dizer que o governo estava na 'iminência' de enviar o texto da reforma administrativa ao Parlamento © Ernesto Rodrigues/Estadão Jair Bolsonaro chegou a dizer que o governo estava na 'iminência' de enviar o texto da reforma administrativa ao Parlamento

BRASÍLIA - O governo avalia a possibilidade de desistir de enviar ao Congresso a sua proposta de reforma administrativa. O recuo passou a ser uma alternativa depois de o Palácio do Planalto consultar lideranças no parlamento, as quais apontaram falta de “clima político” para o governo enviar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Um integrante da equipe econômica disse que a reforma está pronta, mas a decisão é política. O presidente Jair Bolsonaro ainda não bateu martelo em muitos temas da proposta levadas pela equipe econômica e algumas pessoas ao seu redor ainda tem dúvidas de várias pontos do texto.

Senadores pressionam governo e se recusam a compor comissão da reforma tributária

  Senadores pressionam governo e se recusam a compor comissão da reforma tributária Senadores pressionam governo e se recusam a compor comissão da reforma tributáriaBRASÍLIA - De volta aos trabalhos legislativos, senadores fizeram questão de expor, nesta terça-feira, 4, insatisfação com o governo em torno da reforma tributária. A proposta foi anunciada como prioridade para 2020. Líderes do Senado, porém, se recusam a dar andamento ao tema até que o Executivo diga claramente qual é sua proposta e sente na mesa para negociar. Além disso, descartam uma votação no primeiro semestre.

BRASÍLIA (Reuters) - A reforma administrativa será apresentada em fevereiro e trará mudanças estruturais apenas para os novos servidores, afirmou nesta A equipe econômica chegou a ensaiar o envio da PEC em novembro, mas recuou sob determinação do presidente Jair Bolsonaro em meio a

Resumo da notícia Segundo fontes, governo não deve mais enviar reforma administrativa ao Congresso nesta semana Avaliação é de que clima precisa ser apaziguado antes do envio do texto A avaliação é de que o clima precisa ser apaziguado antes do envio do texto, já que o governo

No Congresso, há quem veja o assunto como uma tentativa de colocar, no colo do parlamento, a responsabilidade por mais uma agenda negativa, depois da desgastante aprovação da reforma da Previdência.

As declarações polêmicas do ministro da Economia, Paulo Guedes, que chamou os servidores públicos de “parasitas”, acabou por dificultar o clima para aprovação da reforma.

Há meses o governo trabalha no texto PEC. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que estava na "iminência" de enviar a proposta da reforma administrativa ao Congresso. Um dia depois, no entanto, Paulo Guedes deu sua declaração desastrada. Após a forte repercussão negativa, o ministro da Economia acabou pedindo desculpas, mas o estrago já tinha sido feito.

Guedes diz que funcionalismo público é 'parasita' e está matando o 'hospedeiro'

  Guedes diz que funcionalismo público é 'parasita' e está matando o 'hospedeiro' Guedes diz que funcionalismo público é 'parasita' e está matando o 'hospedeiro'"O funcionalismo teve aumento de 50% acima da inflação, tem estabilidade de emprego, tem aposentadoria generosa, tem tudo. O hospedeiro está morrendo. O cara (funcionário público) virou um parasita e o dinheiro não está chegando no povo", disse Guedes na manhã desta sexta-feira, 7, sendo muito aplaudido durante palestra no seminário Pacto Federativo, promovido pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O governo Jair Bolsonaro (sem partido) recuou e não enviará proposta de reforma tributária ao Congresso. Maia espera aprovar reforma administrativa no primeiro semestre. Ele é um dos articuladores da reforma e relator da PEC 45, que discute o tema na Câmara.

Sem citar Guedes, presidente da Câmara diz que palavras depreciativas contra servidor podem impactar reforma administrativa . Ele espera aprovar a matéria neste semestre.

A estratégia sobre como encaminhar a reforma administrativa tem sido tocada diretamente pelo secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Webel.

O plano de enviar uma PEC do Executivo foi discutido com diversas lideranças políticas do Congresso, as quais alertaram o governo sobre o risco de fracasso no avanço com a proposta, principalmente em ano de eleições municipais, que ocorrem em outubro. A reforma mexeria não apenas com servidores da União, mas também de Estados e municípios.

Com ou sem PEC, o fato é que o governo ainda não desistiu completamente do assunto. Uma das possibilidades analisadas é aproveitar matérias que já estejam em tramitação sobre o tema e enviar apenas uma “sugestão” aos parlamentares, após a criação da comissão especial que vai tratar da pauta.

Seria uma estratégia semelhante à da reforma tributária. No final do ano passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que seria uma "tolice" encaminhar uma nova Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com mudanças no sistema tributário, considerando que já havia outras duas tramitando no Legislativo.

No Palácio do Planalto, a leitura é de que Bolsonaro não quer cutucar o “vespeiro” agora. O entendimento é de que, entre uma reforma que tem impacto imediato e outra que só vai repercutir daqui a dez anos, o melhor é centrar fogo no agora, porque o ano eleitoral é mais curto. / Colaborou Tânia Monteiro

_________________


Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval .
Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval"Vamos deixar para depois do carnaval, né?", disse Bolsonaro, quando chegava ao Palácio da Alvorada. Mais cedo, em cerimônia no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que a reforma está "madura", embora ainda não esteja pronta.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 48
Isto é interessante!