Política 71 deputados e senadores pedem a Aras investigação de ofensa de Bolsonaro a repórter

22:40  19 fevereiro  2020
22:40  19 fevereiro  2020 Fonte:   estadao.com.br

Augusto Aras recorre da decisão de Fachin que homologou delação de Cabral

  Augusto Aras recorre da decisão de Fachin que homologou delação de Cabral Augusto Aras recorre da decisão de Fachin que homologou delação de CabralAo Correio, Aras já havia adiantado na semana passada que entraria com embargos contra o acordo. Cabral se comprometeu a devolver R$ 306 milhões recebidos por meio de propina da época em que ele era governador.

  71 deputados e senadores pedem a Aras investigação de ofensa de Bolsonaro a repórter © Fornecido por Estadão

Um grupo de 71 deputados e senadores da REDE, PT e PSOL apresentou manifestação à Procuradoria-Geral da República (PGR) em que pedem atuação de Augusto Aras no caso envolvendo as ofensas do presidente Jair Bolsonaro à jornalista Patrícia Campos Mello, da 'Folha de S. Paulo'. Segundo os parlamentares, a declaração ofendeu 'os mais basilares primados da igualdade de gêneros e da dignidade da pessoa humana' e 'quebrou o decoro exigido para o cargo máximo da República'.

REPRESENTAÇÃO

Bolsonaro atacou Patrícia ao citar o depoimento de Hans River, ex-funcionário da Yacows, uma agência de disparos de mensagens em massa por WhatsApp, durante a CPI das Fake News no Congresso.

Relatora da CPI das Fake News pede a Aras investigação sobre Hans River por falso testemunho

  Relatora da CPI das Fake News pede a Aras investigação sobre Hans River por falso testemunho Relatora da CPI das Fake News pede a Aras investigação sobre Hans River por falso testemunhoRiver foi ouvido na terça-feira, 11, pela comissão e insultou a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo. Nascimento disse que a jornalista “queria sair” com ele em troca de informações para uma reportagem.

River ofendeu a jornalista ao dizer que ela havia se insinuado para ele em troca de reportagem sobre o uso de disparos de mensagens na campanha eleitoral - cobertura feita pela repórter. As declarações, no entanto, foram rebatidas por mensagens de texto e áudios divulgados pela 'Folha de S. Paulo'.

"Inobstante essa discussão acerca da veracidade ou não das declarações do Sr. Hans, o fato é que o sr. Presidente quebrou o decoro exigido para o cargo máximo da República ao se utilizar de declarações potencialmente falsas para fazer insinuações levianas, sexistas, machistas e misóginas", afirmam os parlamentares. "Ao fazer essa repugnante insinuação, o Presidente insulta todas as mulheres brasileiras."

Os parlamentares destacam que a Constituição proíbe qualquer tipo de censura de natureza política, ideológica e artística e que nenhum argumento legitimaria a fala discriminatória do presidente. Os deputados e senadores apontam que Bolsonaro cometeu suposto crime de responsabilidade na fala.

Depois de apenas 4 dias de votação em 2020, Congresso terá minirrecesso

  Depois de apenas 4 dias de votação em 2020, Congresso terá minirrecesso Depois de apenas 4 dias de votação em 2020, Congresso terá minirrecessoNeste ano, as votações do plenário da Câmara ocorreram nos dias 4, 5 e 11. Em 12 de fevereiro, houve sessão conjunta do Congresso, com a presença também de senadores. Nesse período, entre outras matérias, foram aprovados o projeto com ações de enfrentamento do coronavírus e a medida provisória que ampliou em R$ 5 bilhões os créditos para financiamento do agronegócio.

"Trata-se, em realidade, de verdadeira quebra de decoro, que vem sendo uma atitude recorrente do representado, mesmo antes de assumir tão importante cargo da República", afirmam. "Isso é caracterizado pelo pleno desvio da sobriedade inerente ao cargo, para satisfação de interesses meramente pessoais do Sr. Jair Bolsonaro".

Ética

Mais cedo, um grupo de parlamentares do PSOL protocolou ação na Comissão de Ética da Presidência sob argumento que a declaração do presidente contra Patrícia Campos Mello são 'misógenas e incompatíveis' com o cargo da Presidência. Neste caso, os deputados pedem apuração de possíveis violações ao Código de Conduta da Alta Administração Federal.

COM A PALAVRA, A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

A reportagem entrou em contato, por e-mail, com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e aguarda resposta. O espaço está aberto a manifestações (paulo.netto@estadao.com).

_______________________

Centrão quer manter acordo para derrubada de vetos ao Orçamento impositivo .
Centrão quer manter acordo para derrubada de vetos ao Orçamento impositivo .Três líderes do grupo disseram ao Poder360 esperar que seja mantido o acerto, mesmo depois de o presidente da República, Jair Bolsonaro, ter esgarçado ainda mais sua relação com o Legislativo divulgando pelo WhatsApp vídeo de apoio ao ato contra o Congresso planejado para o dia 15.O Orçamento impositivo diminui o poder do governo de controlar a liberação de emendas –verbas indicadas por congressistas para obras e outras ações em suas bases eleitorais. Também dificulta a contensão de gastos. Bolsonaro vetou trechos da regra.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!