Política Com Judiciário obrigado a cortar quase R$ 1 bilhão, Toffoli pede reunião a Guedes

23:50  20 fevereiro  2020
23:50  20 fevereiro  2020 Fonte:   gazetadopovo.com.br

Bolsonaro participa de posse de Marinho e faz aceno a chefes de Poderes: '2020 será melhor'

  Bolsonaro participa de posse de Marinho e faz aceno a chefes de Poderes: '2020 será melhor' Bolsonaro participa de posse de Marinho e faz aceno a chefes de Poderes: '2020 será melhor'"Nós quatro não podemos tudo, mas quase tudo passa pelas nossas mãos. A nossa união, nosso sentimento cada vez melhor para o Brasil, realmente fará com que todos sintam a diferença. Agradeço a convivência que tivemos ao longo do ano passado e tenho certeza que o corrente ano será muito melhor", disse Bolsonaro, aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do STF, Dias Toffoli.

Pedido feito pela defesa do prefeito Lula Cabral (PSB), que ficou quase três meses preso e foi solto em Na abertura do ano judiciário no Supremo Tribunal Federal, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli , disse que o tribunal dará Poder precisa cortar R $ 1 bilhão para cumprir o teto de gastos.

Na ocasião, o magistrado atendeu a um pedido da Líder, seguradora que administra o DPVAT. Nesta quinta-feira (9), Dias Toffoli voltou atrás e derrubou a própria liminar, baixando novamente os valores do seguro. A previsão é que as despesas com sinistros fiquem em um R $ 1 ,5 bilhão , em 2020.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pediu reunião ao ministro Paulo Guedes para discutir o fim à transição ao teto de gastos. © Marcelo Camargo/Agência Brasil O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pediu reunião ao ministro Paulo Guedes para discutir o fim à transição ao teto de gastos.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, solicitou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, reuniões entre as equipes técnicas da pasta, do Supremo e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para discutir o fim do período de transição à regra do teto de gastos.

A partir deste ano, o Executivo não vai mais poder cobrir as despesas dos demais poderes que vierem a ultrapassar o limite de gastos estabelecidos pelo teto. Sem a subvenção, o Judiciário terá de cortar quase R$ 1 bilhão em despesas para cumprir o teto em 2020.

Guedes diz a empresários que comentário sobre domésticas se deve a seu passado de professor

  Guedes diz a empresários que comentário sobre domésticas se deve a seu passado de professor Guedes diz a empresários que comentário sobre domésticas se deve a seu passado de professorRIO - O ministro da Economia, Paulo Guedes, reuniu-se nesta sexta-feira, 14, com empresários do Grupo GRI, que reúne líderes dos setores imobiliário e de infraestrutura, em um hotel na zona sul do Rio. De frente para a praia de Copacabana, por duas horas, segundo fontes presentes ao evento, Guedes fez uma dissertação otimista sobre os rumos da economia brasileira, mas teve que se explicar sobre as últimas declarações polêmicas, principalmente a mais recente, que afetou a cotação do dólar.

O tribunal pedia a revisão de uma liminar, que impedia a corte de contratar a Microsoft por R $ 1 bilhão , para os serviços de nuvem e de desenvolvimento de novos sistemas de Processo Judicial Eletrônico. Em pouco mais de 50 minutos, o relator do processo, conselheiro Marcio Schiefler

Quem pode pedir . O apoio judiciário pode ser pedido por pessoas ou entidades sem fins lucrativos. Todos os pedidos têm de ser acompanhados de um comprovativo das dificuldades económicas que não permitem à pessoa ou entidade suportar os custos do processo.

No ofício obtido pela Gazeta do Povo, Toffoli afirma que todos os tribunais do país vêm adotando fortes medidas de adequação das suas despesas, mas que a ausência de margem orçamentária para cobrir eventuais imprevistos e para dar continuidade ao investimento na melhoria da prestação jurisdicional tem sido motivo de preocupação entre os presidentes dos órgãos que compõem o Judiciário.

"Projetos na área de inovação tecnológica voltada para a melhoria da prestação jurisdicional, por exemplo, perderão o impulso hoje existente, o que será prejudicial não apenas para o Poder Judiciário, mas também para a própria contribuição que este vem dando para o fortalecimento do ecossistema de inovação de que o país tanto precisa", argumenta Toffoli.

Toffoli suspende liminar e libera reforma da Previdência de Doria

  Toffoli suspende liminar e libera reforma da Previdência de Doria Dias Toffoli liberou a tramitação da reforma da Previdência na Assembleia Legislativa (Alesp) O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, suspendeu liminar proferida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) e liberou a tramitação da reforma da Previdência na . A decisão também libera a designação do deputado Heni Ozi Cukier (Novo-SP) como relator especial da proposta, elaborada pelo governo João Doria (PSDB).

Paulo Guedes . Governador João Doria. Medidas Provisórias. Toffoli lança projeto piloto para destravar obras paradas. Colunas. Federação Italiana propõe revisão com VAR quando as equipes pedirem .

Bolsonaro com Guedes em reunião . As declarações de Guedes , no entanto, geraram várias críticas. Não se constrói o futuro com experiências fracassadas do passado", afirmou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli , durante o Encontro Nacional do Poder Judiciário , em Maceió. Candidato do PSL é obrigado a desmentir guru econômico sobre criação de tributo.

Ele completa que "poderão ser afetados a segurança institucional e os projetos de aproximação do Poder Judiciário com a população, cujos investimentos têm reflexos diretos e indiretos na qualidade da prestação jurisdicional".

No ofício, Toffoli lembra ainda que foi aprovada em 2019 a emenda constitucional 102, que abriu uma nova brecha no teto de gastos. Essa emenda exclui do limite do teto de gastos o dinheiro que a União repassa a estados e municípios pela exploração de petróleo. A aprovação da emenda foi crucial para que o governo pudesse repartir as receitas do megaleilão do pré-sal, realizado em novembro do ano passado, com Estados e municípios, além de pagar o que devia à Petrobras.

O ministro do Supremo diz que a aprovação da emenda 102/2019 “impacta de sobremaneira o equilíbrio institucional que deve haver entre os Poderes da União”. Ele termina o ofício dizendo que “considera indispensável o reequilíbrio institucional necessário e decorrente da superveniência da EC 102/2019, respeitando, evidentemente, o impacto financeiro das obrigações e das missões institucionais que a Constituição designa a que cada um dos Poderes”.

Bolsonaro minimiza ‘possíveis pequenos deslizes’ de Guedes

  Bolsonaro minimiza ‘possíveis pequenos deslizes’ de Guedes Bolsonaro minimiza ‘possíveis pequenos deslizes’ de Guedes“O que nós devemos aos ministros, em especial ao Paulo Guedes aqui, é muito. E nós reconhecemos isso daí. O Paulo não pediu para sair, mas, tenho certeza que, assim como foi 1 dos poucos que conheci antes da eleição, ele vai continuar conosco até o nosso último dia”, disse.

Guedes recebe R $ 8,2 mil de auxílios moradia e alimentação. O valor das "bolsas" que o ministro de Jair Bolsonaro recebe mensalmente para morar e comer daria Para agravar o quadro, a língua solta do ministro Paulo Guedes obrigou a Banco Central a torrar R $ 1 bilhão para conter nova alta do dólar.

Judiciário desde 2014; é a primeira vez que um ministro do STF admite o que a maior parte dos analistas já sabem: que. DIAS TOFFOLI AFAGA BOLSONARO E PEDE QUE TIREM OS OLHOS DO STF - Продолжительность Paulo Guedes diz que o pior inimigo do meio ambiente é a pobreza.

O ofício foi encaminhado por Toffoli a Guedes no dia 15 de janeiro. No documento, Toffoli designa o secretário-geral do CNJ e o diretor-geral do STF para representar o Poder Judiciário no diálogo com o Ministério da Economia. O pedido do presidente do Supremo está sendo analisado pela Secretaria de Orçamento Federal do Ministério da Economia.

O ofício enviado por Toffoli a Guedes:

Entenda o caso

O teto de gastos – criado pela emenda constitucional 95 de 2016 – limita à inflação o crescimento das despesas dos órgãos públicos federais. A regra começou a valer em 2017, mas só o Poder Executivo teve que cumprir integralmente até então.

No caso dos demais poderes – Judiciário, Legislativo, Ministério Público e Defensoria Pública – foi estabelecido um período de "transição" de três anos. Com isso, de 2017 a 2019, os órgãos que pertencem a esses poderes puderam gastar um pouco além do limite do estabelecido pelo teto, e o valor estourado foi bancado integralmente pelo Executivo, através do Tesouro Nacional.

O Judiciário foi o único poder que estourou o teto de gastos nos três anos em que isso era permitido (veja gráfico). Segundo dados do Tesouro Nacional, em 2019, o valor atingiu o seu ápice: as despesas deveriam ficar em até R$ 41,5 bilhões (se limitadas ao teto), mas o Judiciário gastou de fato R$ 43,9 bilhões, estourando o teto em R$ 2,4 bilhões (valores arredondados). Os valores incluem o saldo de todos os órgãos do Judiciário (os que estouraram e os que ficaram abaixo do teto, compensando em parte os que estouraram).

Guedes pede desculpas a empregadas: “Mãe do meu pai foi doméstica”

  Guedes pede desculpas a empregadas: “Mãe do meu pai foi doméstica” "Qual o problema da referência?". Ministro falou no Palácio do Planalto“Aquele modelo antigo com juros lá em cima transformava os empresários e empreendedores brasileiros em rentistas. Em vez de fazerem investimentos e criarem empregos, rentistas. E justamente também as famílias mais humildes, empregadas domésticas, inclusive, a quem eu peço desculpas se puder ter ofendido, dizendo que a mãe do meu pai foi uma empregada doméstica”, afirmou.

Em 2018, as despesas de todo o Poder Judiciário ultrapassaram o teto em R$ 1,073 bilhão. Já em 2017, o estouro foi de R$ 101,7 milhões

A partir deste ano, não haverá mais a compensação do Executivo e o Poder Judiciário terá que se adequar ao teto. Para este ano, os órgãos do Judiciário vão poder gastar R$ 42,9 bilhões, segundo Orçamento aprovado pelo Congresso Nacional. Em 2019, os órgãos do Judiciário gastaram R$ 43,9 bilhões, porque tiveram a compensação da União.

Ou seja, levando em conta o valor gasto em 2019, o Judiciário como um todo terá de cortar quase R$ 1 bilhão (mais precisamente, R$ 964,7 milhões) em despesas em 2020 para se adequar ao teto. Esse valor inclui o saldo final dos oito órgãos que compõem o Judiciário.

Individualmente, os órgãos do Judiciário que vão precisar cortar gastos são a Justiça do Trabalho (reduzir as despesas em R$ 1,017 bi); a Justiça Federal (R$ 152,9 mi); e o Supremo Tribunal Federal (R$ 49,7 mi). Os outros cinco órgãos ficaram com limite de despesa superior ao que gastaram em 2019. Por isso, o Judiciário como um todo vai precisar de esforço fiscal de R$ 964,7 milhões.

_______________________

Reunião entre comissão e liderança de policiais militares termina sem acordo .
Reunião entre comissão e liderança de policiais militares termina sem acordoMediado pelo Ministério Público e pela OAB-CE, o encontro teria como objetivo negociar algumas exigências sobre uma nova proposta de reestruturação salarial por parte das categorias, mas após mais de 4 horas de reunião nada ficou decidido.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 39
Isto é interessante!